quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

  
http://flowersfromdirt-.tumblr.com/

http://www.serralves.pt/actividades/detalhes.php?id=2042

"Férias de Natal em Serralves é um programa dirigido aos mais novos com vista a motivar aprendizagens que valorizam a pesquisa e a criatividade, tendo como ponto de partida o contato com a arte e a natureza. As oficinas têm um caráter lúdico e pretendem estimular a experimentação e a vivência em grupo. Serralves espera-vos!" 19 Dez - 29 Dez 2011


Cirque Du Soleil

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

A Menina Gotinha de Água

 - Ópera Infantil -
Lisboa | 21 de dezembro 2011 a 22 de dezembro 2011

"Ópera infantil, com narrador e coro infantil, cuja encenação se constrói em torno de cenários digitais, projectados em vídeo, que incluem a participação de crianças na elaboração de desenhos de elementos da história, desenhados/manipulados no espetáculo a partir de um interface digital, permitindo uma integração ao vivo dos “inputs” das crianças na criação do cenário da ópera."
http://cartaz.igogo.pt/a-menina-gotinha-de-agua-opera-infantil-

Ficha Técnica - 

Cinema São Jorge
Avenida da Liberdade, 175, 1250-141 Lisboa


 Poeta de Sines
Exposição  no Centro Cultural Emmérico Nunes,  que pretende salientar a presença e a relação de Al Berto com Sines, onde cresceu e onde se inscrevem muitas das referências marcantes da sua vida.
“ Uma geografia de afectos, encantos e desilusões, espaço privilegiado de vivências, inspiração e produção literária. O mar, sempre o mar! A maresia que lhe trazia saudades dos lugares onde nunca estivera; a maresia que o empurrava para fora do pequeno sítio.
O cidadão que participa activamente nas políticas culturais da cidade; a ânsia pelo novo, pelo confronto, pelo desconforto. A criação da sua própria livraria "Tanto Mar", a dinamização do Núcleo Cultural da Câmara Municipal de Sines, a fundação do Centro Cultural Emmerico Nunes.”




Até 7 de Julho de 2012
Centro Cultural Emmerico Nunes | Sala das Índias
Largo do Muro da Praia nº 1
7520-151 Sines


Cromo

Andamos pelo mundo
experimentando a morte
dos brancos cabelos das palavras
atravessamos a vida com o nome do medo
e o consolo dalgum vinho que nos sustém
a urgência de escrever
não se sabe para quem

o fogo a seiva das plantas eivada de astros
a vida policopiada e distribuída assim
através da língua... gratuitamente
o amargo sabor deste país contaminado
as manchas de tinta na boca ferida dos tigres de papel

enquanto durmo à velocidade dos pipelines
esboço cromos para uma colecção de sonhos lunares
e ao acordar... a incoerente cidade odeia
quem deveria amar

o tempo escoa-se na música silente deste mar
ah meu amigo... como invejo essa tarde de fogo
em que apetecia morrer e voltar

Al Berto,  'Salsugem'

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Da cultura

http://culturascopio.com/2008/11/14/sobre-a-definicao-de-cultura-i-parte/



Interessante acompanhar esta discussão que, pelos dias que correm, se vai desenvolvendo em Espanha: As artes na perspectiva da mudança de Governo -

Presidente, un ministerio, por favor

En democracia, la cultura, ese magma informe que alguno denominó por vía romántica "los bienes del espíritu" por contraposición a otros bienes, hoy de más y mucho peor actualidad, ha sido gestionada en España de manera directa tanto por ministros del ramo como por algún que otro secretario de Estado bajo los auspicios de un ministerio de más amplia potestad.

Siga o link para aceder ao texto integral do El País


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Ler em toda a parte

Google images
         Programas empresariais educam o funcionário e combatem o déficit de leitura no país
O Projecto Cometa Leitura é uma iniciativa da organização Cometa, grupo brasileiro de empresas cuja actividade principal se liga ao ramo automóvel, às peças e à representação de diversas marcas internacionais.
Tendo como horizonte o reconhecimento lúcido de que os hábitos de leitura permitem o incremento do saber e a recolha da informação, que permite estimular os desafios profissionais e alargar a esfera de influência pessoal aos domínios da ciência, da informática, da política e que propiciam a afinação dos mecanismos de comunicação no interior (e exterior) da empresa, bem como permitem apontar a níveis de relação crítica gradualmente mais exigentes, o Projecto tem uma tradução prática muito simples:
Cada funcionário tem a possibilidade de ir à biblioteca e escolher o seu livro do mês. O que se espera é que a influência deste gesto elementar se possa traduzir em aumento de informação e alteração dos comportamentos, nos âmbitos familiar, social e profissional
“No Grupo Cometa, no ano de 2009, a média de leitura de livros foi de 6,4 livros por colaborador, o que credencia o Grupo a investir cada vez mais neste projeto. Hoje contamos com 1.009 funcionários, e a expectativa é que serão lidos 12.108 livros neste ano de 2010. O Grupo Cometa investe na aquisição de livros para aumentar sua biblioteca e dar mais opções de leitura. Para a formação da biblioteca, o Grupo já investiu apenas no primeiro semestre de 2010 o valor de R$ 8.178,03 (Oito Mil Cento e Setenta e Oito Reais e Três Centavos). Cada biblioteca conta com mais ou menos 200 livros. O Grupo Cometa conta hoje com o acervo de 2.335 livros distribuídos nas 14 lojas do Grupo, são livros com variados temas, como empreendedorismo, liderança, conhecimento pessoal, vendas, motivação e gestão. O projeto prevê ainda que cada funcionário, além de melhorar perante sua família e a empresa, ainda ganhe com esse hábito, pois a leitura de 1 livro mensal conta pontos para que ele atinja a meta e ganhe um salário adicional, ou seja, o 14º salário. O colaborador aumenta seu conhecimento e ganha esse reconhecimento pelo seu esforço em querer crescer através da leitura.”
Para aferir dos resultados, processam-se acções muito claras: o colaborador, após a leitura escolhida, preenche um formulário, elaborado pelo Recursos Humanos, para ir acompanhando os tópicos de leitura. Poderá seguir-se uma apreciação escrita sobre o livro, a opinião com que ficou, o que lhe foi útil como ensinamento para a vida pessoal e profissional e a elaboração de um resumo. Até ao dia 30 de cada mês deverá ter estes elementos preenchidos, o que traduz o número de livros que vai ler em cada ano (12). No final de cada dois meses, há um almoço de confraternização, durante o qual são sorteados dez colaboradores para falarem sobre o que aprenderam nas suas leituras.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Saúde oral




O dente é formado por quatro camadas diferentes: 

A - Esmalte: camada externa, esbranquiçada e muito dura.
B - Dentina: camada abaixo do esmalte, composta por canalículos que contêm líquidos.
C - Polpa: parte de dentro do canal, que contém sangue e nervo.
D - Cemento: parte que forma a raiz, ligada ao osso alveolar através de fibras.

"(…) o processo de des-remineralização dos dentes ocorre várias vezes ao dia, a cada vez que ingerimos algum alimento. Cada vez que comemos, ocorre perda de minerais da superfície dental (desmineralização). Após esse processo de perda, tem início a reposição de minerais (remineralização), a qual é concluída aproximadamente de 40 a 60 minutos após a ingestão de alimentos.
Ora, se para agregar novamente minerais ao dente, nosso organismo precisa em média de 40 a 60 minutos, o que será que deve acontecer se ingerimos guloseimas várias vezes ao dia? Acertou! Não haverá tempo suficiente para remineralizar a superfície dentária, fragilizando-a a ponto de ser deflagrado o processo de cárie, que, diferente do que muita gente pensa, não é só a cavidade ou a “panela”, mas que tem início com uma pequena alteração na textura e coloração da superfície dental: é a chamada mancha branca ativa. Caso não haja interferência do dentista no sentido de reverter o processo de cárie, a mancha branca evolui até formar a cavidade cariosa."

Saber mais

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Leituras


COMO SE DESENHA UMA CASA
Primeiro abre-se a porta
por dentro sobre a tela imatura onde previamente
se escreveram palavras antigas: o cão, o jardim impresente,
a mãe para sempre morta.
Anoiteceu, apagamos a luz e, depois,
como uma foto que se guarda na carteira,
iluminam-se no quintal as flores da macieira
e, no papel de parede, agitam-se as recordações.
Protege-te delas, das recordações,
dos seus ócios, das suas conspirações;
usa cores morosas, tons mais-que-perfeitos:
o rosa para as lágrimas, o azul para os sonhos desfeitos.
Uma casa é as ruínas de uma casa,
uma coisa ameaçadora à espera de uma palavra;
desenha-a como quem embala um remorso,
com algum grau de abstracção e sem um plano rigoroso.
Ilustración de Isidro Ferrer
in:http://www.elpais.com/articulo/portada/tribu/letras/elpepuculbab/20111210elpbabpor_3/Tes


A título de sugestão, tradução livre de alguns excertos desta análise sobre literatura infantil e juvenil, retirada da fonte indicada e que vale a pena ler na íntegra.
Uma Tribo de Letras
Uns são partidários do Senhor dos Anéis, outros flipam com Harry Potter. Hobitts ou aprendizes de feiticeiro, em Hogwarts, gritam e correm como desalmados. Claro que apaixonar-se por um elfo pode mitigar a solidão no recreio. (…)

Os beijos a príncipes azuis, as lutas contra dragões num mundo mítico mais uma dose obrigatória de intriga, que em algum momento os pode aproximar da novela negra, fazem parte do imaginário literário de uma boa parte dos leitores que têm entre dez e treze anos. Nessa idade, 100% lê por imperativo dos estudos, cerca de 82,6% lê no tempo livre e 77,1% fá-lo diária ou semanalmente, de acordo com o barómetro de hábitos de leitura do Grémio de Editores. (…)

A nova literatura juvenil adequa-se aos tempos que correm; mais do que para divertir e formar, escreve-se para estimular o instante e no momento. A educação também não se dedica a potenciar a reflexão. Fora da escola vão sobrecarregados de actividades paralelas. Fazem parte do mundo de loucura dos adultos. Sem tempo para se aborrecerem. (…) [Trad. Livre]

AMELIA CASTILLA

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

Viver na cidade








Rádio de histórias


Google Images

Entre 5 e 23 de Dezembro, na TSF, escritores e ilustradores de livros infanto-juvenis, contadores de histórias, livrarias, editoras e blogues do universo infanto-juvenil, encontram-se na Rádio de Histórias, com Fernando Alves, e ajudam a descobrir o universo da literatura infantil.

Segunda a Sexta-feira, às 07h50 e 17h50, com uma versão alargada depois das 15h00.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

O prazer da leitura

http://rodasdeleituras.blogspot.com/2011/02/o-prazer-da-leitura.html

"(…) Vejo, assim, a cena original: a mãe ou o pai, livro aberto, lendo para o filho... Essa experiência é o aperitivo que ficará para sempre guardado na memória afetiva da criança. Na ausência da mãe ou do pai a criança olhará para o livro com desejo e inveja. Desejo, porque ela quer experimentar as delícias que estão contidas nas palavras. E inveja, porque ela gostaria de ter o saber do pai e da mãe: eles são aqueles que têm a chave que abre as portas daquele mundo maravilhoso! Roland Barthes faz uso de uma linda metáfora poética para descrever o que ele desejava fazer, como professor: maternagem: continuar a fazer aquilo que a mãe faz. É isso mesmo: na escola, o professor deverá continuar o processo de leitura afetuosa. Ele lê: a criança ouve, extasiada! Seduzida, ela pedirá: “Por favor, me ensine! Eu quero poder entrar no livro por conta própria...“

Toda aprendizagem começa com um pedido. Se não houver o pedido, a aprendizagem não acontecerá. Há aquele velho ditado: “É fácil levar a égua até o meio do ribeirão. O difícil é convencer a égua a beber“. Traduzido pela Adélia Prado: “Não quero faca nem queijo. Quero é fome“. Metáfora para o professor: cozinheiro, Babette, que serve o aperitivo para que a criança tenha fome e deseje comer o texto...

Onde se encontra o prazer do texto? Onde se encontra o seu poder de seduzir? Tive a resposta para essa questão acidentalmente, sem que a tivesse procurado. Ele me disse que havia lido um lindo poema de Fernando Pessoa, e citou a primeira frase. Fiquei feliz porque eu também amava aquele poema. Aí ele começou a lê-lo. Estremeci. O poema – aquele poema que eu amava – estava horrível na sua leitura. As palavras que ele lia eram as palavras certas. Mas alguma coisa estava errada! A música estava errada! Todo texto tem dois elementos: as palavras, com o seu significado. E a música... Percebi, então, que todo texto literário se assemelha à música. Uma sonata de Mozart, por exemplo. A sua “letra“ está gravada no papel: as notas. Mas assim, escrita no papel, a sonata não existe como experiência estética. Está morta. É preciso que um intérprete dê vida às notas mortas. Martha Argerich, pianista suprema (sua interpretação do concerto n. 3 de Rachmaninoff
me convenceu da superioridade das mulheres...) as toca: seus dedos deslizam leves, rápidos, vigorosos, vagarosos, suaves, nenhum deslize, nenhum tropeção: estamos possuídos pela beleza. A mesma partitura, as mesmas notas, nas mãos de um pianeiro: o toque é duro, sem leveza, tropeções, hesitações, esbarros, erros: é o horror, o desejo que o fim chegue logo.

Todo texto literário é uma partitura musical. As palavras são as notas. Se aquele que lê é um artista, se ele domina a técnica, se ele surfa sobre as palavras, se ele está possuído pelo texto – a beleza acontece. E o texto se apossa do corpo de quem ouve. Mas se aquele que lê não domina a técnica, se ele luta com as palavras, se ele não desliza sobre elas – a leitura não produz prazer: queremos que ela termine logo. Assim, quem ensina a ler, isto é, aquele que lê para que seus alunos tenham prazer no texto, tem de ser um artista. Só deveria ler aquele que está possuído pelo texto que lê. Por isso eu acho que deveria ser estabelecida em nossas escolas a prática de “concertos de leitura“. Se há concertos de música erudita, jazz e MPB – por que não concertos de leitura? Ouvindo, os alunos experimentarão os prazeres do ler. (…)"


Capital Europeia da Cultura

   

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

http://encontrolivreiro.blogspot.com/2011/12/assim-nao-ha-livraria-que-aguente.html


Todos os dias são bons para visitar uma livraria. Não permita que as livrarias se transformem numa «espécie em vias de extinção»! É dia de folga? Mas pode sempre espreitar pela montra e voltar lá depois.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

El origen de #bookcamping foto Nathalie Paco
http://blogs.elpais.com/3500-millones/2011/11/estamos-dispuestos-a-financiar-el-bien-comun.html#more
"A ajuda individual poderá substituir o financiamento público? Esta é uma questão recorrente em Espanha, onde as paupérrimas arcas públicas para pouco dão sendo que, porém, a necessidade de dar saída a ideias livres que ajudem a melhorar o mundo é maior do que nunca
Imaginem um grupo de mais de cem pessoas que, para além de passarem vários dias em acampamento, trocando livros e ideias, decidem criar uma biblioteca virtual, aberta e colaborativa. Há uns anos atrás teriam recorrido ao Ministério da Cultura para que os subsidiasse. Hoje, sem hesitação, optam por dar notícia do seu projecto e pedir ajuda a pessoas que, como eles, amem a cultura e a leitura e acreditem que ambas devem ser de acesso público e gratuito. 
Graças à Internet, contam com uma plataforma online, Bookcamping, que lhes permite expor o projecto, difundi-lo e recolher toda a ajuda económica que outros cidadãos decidam prestar." (...) 

terça-feira, 29 de novembro de 2011

UM CONTO DE NATAL
(A partir de Charles Dickens)




Um Conto de Natal de Charles Dickens, com adaptação e representação da Companhia de Teatro “Os Bobos e a Corte”, fala-nos de um velho sovina e rabugento (Scrooge) que, em véspera de Natal, é levado numa viagem através do tempo que lhe vai abrir o coração para algo muito mais poderoso que o dinheiro: o Amor, os Amigos e a Família.




ITINERÂNCIA NACIONAL, O TEATRO VAI À ESCOLA
 10 de Novembro de 2011 a 06 de Janeiro de 2012

INFORMAÇÕES e RESERVAS
Marco Esteves
Tel.: 92 66 22 743


segunda-feira, 28 de novembro de 2011


No próximo dia 30 de novembro, o Município de Loures assinala o 10.º aniversário da Biblioteca Municipal José Saramago (BMJS). Da comemoração da efeméride faz parte um conjunto de atividades, de acesso livre e gratuito, que visam marcar e celebrar este facto e, simultaneamente, homenagear o escritor José Saramago, patrono da Biblioteca e um dos expoentes máximos da literatura portuguesa, falecido o ano passado.

Destaque para algumas iniciativas como, entre as 10h30 e as 17h00, as “Leituras de Saramago”, que contarão, para além de outros, com a intervenção do Teatro Independente de Loures e dos alunos da Academia dos Saberes.
Pilar del Río, viúva do escritor e presidenta da Fundação José Saramago, vai inaugurar, a partir das 21 horas, a mostra documental A (ler) Saramago.
(...)
 
José Saramago
Fala do Velho do Restelo ao Astronauta

Aqui, na Terra, a fome continua,
A miséria, o luto, e outra vez a fome.

Acendemos cigarros em fogos de napalme
E dizemos amor sem saber o que seja.
Mas fizemos de ti a prova da riqueza,
E também da pobreza, e da fome outra vez.
E pusemos em ti sei lá bem que desejo
De mais alto que nós, e melhor e mais puro.

No jornal, de olhos tensos, soletramos
As vertigens do espaço e maravilhas:
Oceanos salgados que circundam
Ilhas mortas de sede, onde não chove.

Mas o mundo, astronauta, é boa mesa
Onde come, brincando, só a fome,
Só a fome, astronauta, só a fome,
E são brinquedos as bombas de napalme.
                   

Entre Palavras

O Fórum ENTRE PALAVRAS”, 8ª edição, 2011 / 2012, promovido pelo Jornal de Notícias, é destinado aos alunos do 3º ciclo, constituídos em equipas, e tem como grande objectivo a defesa de uma tese,  cujos argumentos possam ser rebatidos nas áreas temáticas [POUPANÇA / HONESTIDADE / CRIATIVIDADE] inicialmente definidas. As escolas de Norte a Sul do país são, assim, desafiadas a trocar pontos de vista sustentados na leitura exigente e na abertura à expressão apurada das ideias. 
A 8ª edição, ano lectivo 2011/2012, arrancou no início do 1º período e tem fim previsto previsto para Junho.

Como se processa:

- Debates nas Turmas e Interturmas - a decorrer dentro de cada escola inscrita;
- Campeonatos Distritais - realizados entre as escolas apuradas de cada distrito;
- Fórum da Leitura e Debate de Ideias - grande final a nível nacional em que estarão presentes as duas escolas vencedoras de cada distrito.

Todas as escolas participantes receberão um guia do professor, com as regras do "Entre | Palavras" para o ano lectivo 2011/12 e a oferta de material de leitura do "Jornal de Notícias".
Para que os debates na V/ escola comecem o quanto antes, é ideal que se inscrevam com a máxima rapidez, de forma a obter com brevidade o material pedagógico que vos permitirá desenvolver o projecto e apresentá-lo já na próxima reunião dos departamentos de Português, Formação Cívica, Estudo Acompanhado ou outras disciplinas, para que todos os professores interessados possam participar.


Para conhecer as Regras e estabelecer contactos - http://entrepalavras.jn.pt/

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Arte Lisboa

ARTE LISBOA - FEIRA DE ARTE CONTEMPORÂNEA

google images

No Pavilhão 1 da FIL, Parque das Nações, vai correr, entre 23 e 27 de Novembro, a 11ª edição da ARTE LISBOA. Nela estarão presentes 40 galerias de arte contemporânea nacional e internacional [Alemanha, Hungria, México, Brasil, Moçambique, Coreia e Espanha], à vista das cerca de 20 000 pessoas que todos os anos a visitam. Artistas de diversas proveniências, mais ou menos consagrados, de múltiplas esferas e influências irão permitir olhares demorados quer ao público em geral quer aos colecionadores que nela encontram, cada vez mais, motivos de interesse no cruzamento das múltiplas tendências expressivas contemporâneas.



sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Porto de Encontro

Porto de Encontro
-para escritores, livros e leitores-
19 de novembro /17:00 H
(Praça Carlos Alberto, 71, Porto)

Promovida pelo Grupo Porto Editora e com o apoio da Câmara Municipal do Porto, da Porto Cálem, do Jornal de Notícias, da Rádio Nova e do Porto Canal vai dar-se início a um ciclo mensal de conversas com escritores, conduzido pelo jornalista Sérgio de Almeida que é, também o autor da iniciativa.
Estas conversas que decorrerão sempre em locais de referência da cidade do Porto, terão como objecto não só os livros como aspectos mais ligados à personalidade dos seus autores.
A primeira sessão deste Porto de Encontro será centrada na figura do autor Gonçalo M. Tavares e no título da sua autoria Matteo perdeu o emprego [Porto Editora, 2010].
Para Dezembro (10.12.11, 17.00H, mesmo local) está já programada a presença do autor José Rentes de Carvalho.

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Diálogos imaginários

DIÁLOGOS IMAGINÁRIOS
2011/2012

O Plano Nacional de Leitura (PNL), a Rede de Bibliotecas Escolares (RBE) e a Associação Promotora do Museu do Neorealismo (APMNR), realizam, em 2011/2012 e em iniciativa conjunta, o Concurso Diálogos Imaginários - Manuel da Fonseca / Alves Redol, que conta com o patrocínio da Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, da Câmara Municipal de Santiago do Cacém e da Editora Leya.

O Concurso pretende premiar trabalhos produzidos por alunos do 3º Ciclo e do Ensino Secundário, editados em formato electrónico (ebook, blog, wiki,…) cujo tema se refira à obra dos dois escritores [centenário de nascimento em 2011] e seja demonstrativo da aquisição de competências expressivas e de saberes relacionados.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Ler com a boca toda

A Direcção Geral de Saúde, o Plano Nacional de Leitura e a Rede de Bibliotecas Escolares celebararam, em Julho de 2011, um protocolo de cooperação que visa divulgar as estratégias de intervenção do Programa Nacional de Promoção de Saúde Oral - Plano B no universo de promoção da leitura abrangido pelas entidades referenciadas.



gengiva.com


Divulgação do Plano B do Programa Nacional de Prevenção da Saúde Oral
·      Pré-escolar e primeiro ciclo - projectos lúdicos, criação de histórias e leituras animadas
·      Segundo e terceiro ciclo: construção de projecto de leitura, contos ou debates
·      Terceiro ciclo e secundário: propostas de investigação, inquéritos e posters com apresentação de dados (hábitos de higiene oral e/ou criação de guião ou peça de teatro)
·      Desenvolver dinâmicas de cooperação em todas as áreas de intervenção e de influência da DGS, do PNL e da RBE, a nível nacional
·      Fazer intervir a temática da saúde oral em iniciativas de promoção da leitura (Semana da Leitura; Concursos ‘E se a minha boca fosse a minha casa…’)
·      Desenvolver iniciativas junto das Bibliotecas Municipais e na sua relação com as Bibliotecas Escolares a definir pelo espírito de serviço público
·      Dar incremento à relação lógica entre o Projecto ‘Ler+dá Saúde’, já protocolado com a DGS, e o Plano B, do PNPSO

Questões práticas de sobrevivência levaram os homens desde sempre, a ter cuidados minuciosos com a dentição.
Desde o sec. VII AC que são conhecidas técnicas e materiais de reparação ou de substituição de dentes (de outros animais, de marfim…)
Há mais de 3000 anos que no Antigo Egipto, já era recomendada a lavagem dos dentes depois das refeições e remonta a essa data a primeira escova de dentes conhecida (objecto de ramos juntos, com as pontas desfiadas).
Estas técnicas, materiais e preocupações acentuaram-se e evoluíram com os Gregos e os Romanos. Os Etruscos faziam transplantes e substituições a ouro mas foi um médico latino quem, há mais de 2000 anos, criou a primeira pasta dentífrica.
Na China, 1500 anos atrás, era utilizada uma escova relativamente parecida com as da nossa era com cerdas de porco e, depois, de cavalo, presas a pedaços de osso.
Em 1938, nos EUA, é criada a primeira escova de dentes com cerdas de nylon.


Saber mais