segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

O rosto grita


"As pessoas falam sem falar. O rosto grita", diz Armindo Freitas-Magalhães, director do Laboratório de Expressão Facial da Emoção (FEELab) da Universidade Fernando Pessoa. E grita sempre a verdade. Mesmo quando se pretende esconder, simular ou distorcer.
Porque os músculos desenham no rosto (o palco) as emoções geradas no cérebro (camarins) de forma espontânea e involuntária, explica o psicólogo. E sentencia: "A expressão facial nunca mente".

http://face-and-emotion.com/

Paul Ekman, famoso psicólogo norte-americano que inspirou a série televisiva "Lie to me", cartografou a expressão das emoções no rosto humano com base nos movimentos musculares da face, olhos, nariz, boca, pálpebras, sobrancelhas, testa e pescoço. O resultado é o Facial Action Coding System (FACS), um instrumento cientificamente validado - ao contrário do polígrafo - usado para muitos fins, incluindo de investigação criminal. (...)
Cada expressão, cada movimento tem significado. Mais: são universais. Um português revela, no rosto, emoções como alegria, desprezo ou surpresa da mesma forma do que um chinês. Ou dito por outras palavras, com os mesmos marcadores faciais. O que difere são as regras de exibição social, explica Freitas-Magalhães, que cita os estudos de Ekman, na Nova Guiné, que demonstraram a universalidade da expressão facial das emoções.
A simulação é possível, claro, e há quem o faça bem, principalmente em situações de vazio emocional, mas as expressões produzidas não cumprem os critérios de genuinidade e quem dominar o FACS consegue detectar as mentiras. Sempre, garante o investigador. Uma das formas de encontrar a falsidade da expressão é analisar a simetria da face: em caso de simulação, os movimentos do lado esquerdo não são iguais aos do lado direito."

Helena Norte, "A verdade da mentira revela-se sempre na face", http://www.jn.pt/, 31, Jan., 2011

"Sê Voluntário! Faz a Diferença"


Assinalando o arranque oficial das celebrações do Ano Europeu do Voluntariado 2011, vai realizar-se no Fórum Picoas, em Lisboa, entre 3 e 9 de Fevereiro, em parceria com a Representação da Comissão Europeia em Portugal e a Coordenação Nacional do AEV 2011, a "Volta às Capitais", evento que pretende constituir um ponto de encontro entre voluntários (e futuros voluntários), que aí podem confrontar-se com muita da oferta da sociedade civil em torno da temática.

Durante sete dias, com entrada livre, entre as 12h e as 20h, o evento proporciona aos visitantes, por um lado, a oportunidade de conhecerem o compromisso dos voluntários (nomeadamente os jovens, docentes e outros adultos da comunidade) que, nos seus tempos livres e de forma gratuita, contribuem para o exercício da cidadania activa; e, por outro, a informação que permite combinar os potenciais voluntários com as oportunidades de colaboração.

Direccionado a escolas, alunos, docentes, pais e encarregados de educação, os visitantes (em grupo organizado pela escola ou de forma individual) podem assistir a testemunhos de voluntários, filmes, música, conferências, hora do conto e outras actividades que ilustram a cultura e a prática de voluntariado nos vários sectores da sociedade portuguesa.

Mais informações -  Sítio AEV - Portugal / sítio da DGIDC

Fonte: Portal das Escolas com Direcção-Geral de Inovação e Desenvolvimento Curricular (DGIDC)

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

"Retratar um Livro"



Fundação José Saramago lança um Prémio de Fotografia em que as novas tecnologias se unem à leitura.
O primeiro protagonista, proposto por José Saramago, é Almada Negreiros, com o livro "Nome de Guerra.”
A Fundação optou por unir a imagem ao texto, propondo para isso que todos os fotógrafos, amadores ou profissionais, leiam "Nome de Guerra.”, de Almada Negreiros e procurem a forma de expressar, em fotografias, o espírito do livro.
Os trabalhos apresentados serão observados por um júri internacional e as fotografias seleccionadas serão posteriormente objecto de uma exposição que se inaugurará em Lisboa e que, em continuação, percorrerá as Escolas e Bibliotecas do país que a solicitem.
Os três primeiros prémios têm dotação económica: para o primeiro 1.000,00 euros, 500,00 € para o segundo e 250,00 € para o terceiro.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Tinta nos Nervos

[ 13 Janeiro 2011 | 27 Março 2011 ]
Tinta nos Nervos é uma mostra de 41 artistas portugueses que exploram a arte da banda desenhada de um modo particularmente pessoal, expressivo e atento a questões estéticas contemporâneas. Mais ou menos afastados de um certo consenso desta arte enquanto objecto de massas ou de entretenimento, as suas obras são aquilo que poderemos considerar como bandas desenhadas de autor.

Saber mais [PDF de informação]

História dos media e da informação

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

Sarau Instável



Os melhores (e os piores) livros de 2010

Os melhores (e os piores) livros de 2010 serão a temática do próximo Sarau Instável, rubrica promovida pela Biblioteca Municipal de Silves.

Esta tertúlia, com data marcada para o próximo dia 28 de Janeiro, pelas 21 horas, apresenta como convidados José Mário Silva e José Mendonça.

Neste encontro, dirigido ao público em geral, José Mário Silva, escritor, ensaísta e crítico literário do jornal Expresso e da revista Ler, e José Mendonça, coordenador da comunidade de leitores da Biblioteca Municipal de Silves em 2008, irão, através de uma abordagem “sem papas na língua”, fazer, numa viagem pelo universo literário, o balanço e a análise dos melhores (e piores) livros do último ano.

Para mais informações sobre esta actividade os interessados poderão contactar a Biblioteca Municipal de Silves, através dos telefones 282 440 800 | 282 442 112, ou do endereço de correio electrónico: biblioteca@cm-silves.pt

"Diz a noite"

No âmbito das Comemorações do seu 10º Aniversário, a Biblioteca Municipal de Cascais – Casa da Horta da Quinta de Santa Clara irá promover, no próximo dia 28 de Janeiro, pelas 21h30, uma noite de poesia intitulada «Diz a noite».


Ler. Ouvir. Dizer. É como o descerrar da aurora depois da penumbra da noite. Diz a noite. Um poeta. Um poema. Um livro que contém todas as palavras. O código do murmúrio das metáforas. Senti-las como suas e dizer: «a poesia nunca se abate, é a respiração frásica da alma». Da alma do poeta para a alma de quem o sente.

20 anos, 20 lições

 [Úbeda, 1956]
A leitura ensina tanto como o exercício da escrita. Uma celebração como esta pode servir de pretexto para retirar conclusões, para por a descoberto alguns dos ensinamentos que esse ir e vir através da linguagem deixa a quem ama a literatura.

1 Aprendi que a ficção não tem de ser a forma superior da literatura narrativa (…)

2 Aprendi que há possibilidades expressivas ilimitadas no relato objectivo de determinados acontecimentos … (livros de história, biografias, artigos…)

3 Aprendi as vantagens de mergulhar totalmente noutra língua(…)

4 Aprendi (com Salman Rushdie…) que um escritor de prosa tem de ler muita poesia para aprender a sua disciplina verbal (…)

5 Aprendi a desconfiar do estilo (…)

6 Aprendi que cada um deve tirar todo o proveito possível das suas próprias limitações (…)

7 Aprendi que escrever é contar alguma coisa que se sabe e também aventurar-se no que não se sabe (…)

8 Aprendi que a percepção do leitor comum, amante de literatura, tende a ser mais aguda e pura do que a da média dos especialistas, críticos ou professores (…)

9 Aprendi que é necessário estar sempre alerta contra os preconceitos e os mal-entendidos (…)

10 Aprendi que por mais idade e mais familiaridade que se julgue ter com a literatura, há sempre lugar para surpresas fantásticas e deslumbrantes (…)

11 Aprendi que a música ou a pintura – e a fotografia e o desenho – contêm lições essenciais para o meu ofício de escritor (…)

12 Aprendi que os únicos estimulantes de que necessito para escrever estão dentro de mim próprio (…)

13 Aprendi que o exercício físico e as tarefas práticas ajudam a despertar a imaginação e a que as ideias, as imagens, as conexões, as palavras, surjam mais rapidamente (…)

14 Aprendi que uma grande parte do trabalho de escrever um livro se vai fazendo, sem que se dê conta, muito antes de se começar a escrever (…)

15 Aprendi que nenhuma vivência, nenhuma história é, em si mesma, tão particular ou tão local que não se possa fazer universalmente inteligível (…)

16 Aprendi que, em cada geração, há um certo número de escritores jovens que se convencem que a sua juventude é um caso absoluto de originalidade e talento (…)

17 Aprendi que, de todas as personagens criadas por um novelista, o menos sólido, o menos verdadeiro, o mais convencional, costuma ser a personagem pública em que ele próprio se converte (…)

18 Aprendi a conviver com a insegurança e o desalento, com a incerteza irremediável sobre o valor do que fiz (…)

19 Aprendi que, terminado um livro, só resta, como antídoto, começar um outro em que talvez seja possível não cometer os mesmos erros: com sorte, serão erros diferentes (…)

20 Aprendi que, de tudo o que gosto, gosto mais do que há vinte anos: escrever, ler, ver quadros ou filmes, escutar música, passear nas cidades que amo, estar perto das pessoas queridas, lembrar-me das que partiram (…)


 El País, 25/1/2011 Babelia 

[Texto em versão livre, encurtada e adaptada da declaração original, publicada no Jornal El País, que tem como propósito remeter para a leitura integral do depoimento de António Muñoz Molina na celebração das mil semanas de cultura de Babélia, o suplemento literário do jornal].

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Mar de Contos

Estrutura de Missão
 para os Assuntos do Mar
http://www.emam.com.pt/

(…) Portugal está de regresso ao Mar!
A literatura portuguesa sempre procurou no Mar uma das suas principais fontes de inspiração. De Luís de Camões a Fernando Pessoa, passando por Vergílio Ferreira e Sophia de Mello Breyner, os maiores autores nacionais consagraram o Mar como um Mundo privilegiado de aventuras, tragédias e histórias de amor.
É neste contexto que a Estrutura de Missão para os Assuntos do Mar quer encorajar o surgimento de novos talentos literários inspirados na grande riqueza que é o Mar português.  
Escreve sobre o passado (jovens dos 12 aos 17 anos), o presente ou o futuro. Faz o relato de uma expedição científica ou de uma emocionante aventura de piratas. Conta a história de um peixe ou de um pescador. Recorda um episódio que se tenha passado contigo na praia ou num barco. Apela aos cuidados a ter com a poluição marítima. Em suma: escreve sobre o que quiseres, mas escreve sobre o Mar.
O concurso foi lançado no Dia Nacional do Mar (16 Novembro) e estará aberto até 16 Fevereiro de 2011.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Portal MultiPessoa

O portal MultiPessoa dirige-se a todo o tipo de leitores, do leigo ao investigador, e tem por objectivos principais:

- Divulgar a obra de Fernando Pessoa, tornando-a acessível a qualquer leitor, através de uma espécie de antologia interactiva, o Labirinto;

- Ser um instrumento didáctico que facilite e apoie o estudo da obra pessoana na sua multiplicidade;

- Servir como instrumento de investigação ao permitir pesquisas de texto complexas na obra de Fernando Pessoa.

O portal MultiPessoa apresenta, actualmente, duas vertentes activas:
  1. o Labirinto, componente educacional de iniciação à obra de Fernando Pessoa, acompanhada de imagens e leituras orais de 120 poemas;
  2. o Arquivo Pessoa, base de dados da maior parte da obra pessoana, com capacidades de pesquisa de texto complexas; este corpus será progressivamente actualizado com os novos éditos dos últimos 10 anos.

IX Hospital dos Pequeninos

Em 2010, decorreu a IX edição do Projecto Hospital dos Pequeninos, um projecto que busca processos para reduzir a ansiedade das crianças, no intervalo dos 3 aos 7 anos de idade, em situação de consulta médica. Cada criança levou um boneco 'doente' que foi submetido a todos os procedimentos realizados num Serviço de Urgência.
Aqui fica o resultado final.




Saber mais aqui e aqui.

“Cabeças com ideias”

Livraria Cabeçudos



A única livraria para crianças, em Lisboa...

Para saber mais, ir aqui e aqui

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Webinar


A DGIDC/ERTE promove, a partir do mês de Janeiro, o projecto "Webinar", que consiste na realização de Conferências via Internet, com a presença de especialistas em diversas matérias, todas relacionadas com a utilização das TIC em contexto educativo.
As sessões "Webinar" irão para o ar quinzenalmente, às Segunda e Quarta- feiras de cada mês, pelas 16h 30m. Terão a duração de 40 minutos, havendo espaço para, através do endereço de correio electrónico webinar@dgidc.min-edu.pt, serem colocadas questões ao orador, que serão respondidas por este no final da sessão.
A primeira sessão contará com a presença do Professor Doutor Fernando Albuquerque Costa, do Instituto de Educação de Lisboa, que abordará a temática Metas de Aprendizagem nas TIC. Recorda-se que foi o professor Fernando Costa o responsável pela coordenação da equipa que definiu estas metas.
É possível assistir em directo aos Webinars a partir do endereço http://webinar.dgidc.min-edu.pt/
O cartaz desta iniciativa pode ser obtido aqui.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Concurso Lusófono da Trofa - Conto Infantil

Até 25 de Março está aberto o período de recepção de trabalhos concorrentes à edição de 2011 do Concurso Lusófono da Trofa – Conto Infantil Prémio ‘Matilde Rosa Araújo’, organizado pela Câmara Municipal da Trofa com o apoio do Instituto Camões.
O concurso  estender-se-á a todos os países de língua oficial portuguesa, de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, S. Tomé e Príncipe e Timor e destina-se a cidadãos – escritores ou não - que não tenham qualquer obra publicada na área da Literatura Infantil.
O Concurso Lusófono da Trofa – Conto InfantilPrémio Matilde Rosa Araújo concederá:
-o Prémio Matilde Rosa Araújo, no valor de € 5000, para o Melhor Conto de todos os concorrentes
-o Prémio Lusofonia, no valor de € 1000, para o Melhor Conto de cada país (que não tenha ganho o prémio Matilde Rosa Araújo).
O nome dos vencedores será publicado nos sítios da Câmara Municipal da Trofa e Instituto Camões.

Projecto Ler + dá Saúde

O projecto Ler + dá Saúde é um projecto de promoção de leitura que visa sensibilizar e envolver os médicos de Clínica Geral como actores da promoção de leitura em família, junto dos familiares das crianças a partir dos 6 meses de idade. Resulta do protocolo estabelecido entre a Associação Portuguesa de Médicos de Clínica Geral (APMCG) e a Comissão do Plano Nacional de Leitura (PNL).

Objectivos do projecto Ler + dá Saúde:

1- Desenvolvimento da leitura/literacia:
 Progressiva aquisição de hábitos de leitura quotidiana no quadro das actividades das famílias dos diferentes grupos sociais
 Melhor preparação das crianças para a aprendizagem formal da leitura
 Redução de disparidades decorrentes de origem social na aquisição de competências de leitura

2- Promoção de comportamentos saudáveis:
 Aumento do tempo de convívio diário entre pais e filhos e da atenção dos adultos às crianças
 Prática de actividades promotoras de desenvolvimento afectivo e intelectual tanto de crianças como de adultos e do conhecimento relacionado com comportamentos e ambientes saudáveis

3- Uso e acesso a serviços de saúde
 Melhor compreensão de factores indutores de saúde e de doença na criança e no adulto; promoção de comportamentos de prevenção de riscos: compreensão e melhor uso de serviços de saúde, através da informação veiculada por obras destinadas a crianças, lidas com (pelos) pais e do contacto directo com os profissionais de saúde.


Fundamentação do Projecto Ler + dá Saúde

“A investigação, nas últimas décadas, documentou a importância do desenvolvimento cerebral nos cinco primeiros anos de vida e como o cérebro está biologicamente organizado para ser moldado pelas experiências emocionais e sensoriais(…)
A qualidade da estimulação precoce e das relações emocionais, condicionarão, em grande parte, a forma como o cérebro se virá a desenvolver e como serão cumpridas as potencialidades de cada criança (...)
Os investigadores confirmaram a forte correlação entre o vocabulário aos 3 anos de idade e o nível de leitura no 11º ano de escolaridade (Biemiller 2005).
As crianças, a partir dos seis meses de idade, têm já a capacidade para associar imagens a sons e uma curiosidade natural pelo que as rodeia. A utilização do livro, a partir dessa idade, aumenta a interacção entre pais e filhos; estimula a motricidade fina (apontar, passar a folha) e grosseira (pegar e abrir o livro); aumenta o número de palavras utilizadas na família; é uma forma de ampliação do real e de estimulação da criatividade; estimula a capacidade de concentração; coloca no livro uma carga emocional que levará para sempre, como objecto de partilha com as pessoas mais significativas (..).
Os médicos e enfermeiros que trabalham na área da Saúde Infantil são interlocutores privilegiados para transmitirem, aos pais e cuidadores das crianças, as estratégias mais favoráveis e adequadas para o desenvolvimento pleno das suas potencialidades.”
[Dr. Rizério Salgado, CS S. Julião, Oeiras]

Inscrição / Actualização no Projecto Ler + dá Saúde - solicitar o Login e a Password através do email: manuel.goncalves@planonacionaldeleitura.gov.pt

Poema da Semana

Wordle.net
Escrever um poema
O Blogue do PNL está aberto à participação de todos os jovens criadores, entre os 14 e os 21 anos de idade, que nos queiram enviar as suas produções literárias. Envie o seu texto indicando os dados pessoais para o nosso endereço de email bloguedopnl@gmail.com.
Os trabalhos seleccionados serão publicados neste blogue.
Destinatários: Jovens poetas dos 14-21 anos de idade

Objectivo: Promoção da leitura e da escrita criativa

Modalidade: Poesia

Tema: Livre

Dimensão do texto: até 1500 caracteres

Informação necessária:
Nome do autor:
Idade:
Ano de escolaridade:
Agrupamento / Escola não agrupada:
Título do Poema:

Normas:
§   Os autores dos poemas enviados cedem ao Plano Nacional de Leitura (PNL) os respectivos direitos de eventual publicação no blogue do PNL e numa antologia de poemas seleccionados.
§   O PNL compromete-se a manter a menção da autoria dos textos publicados.
§   Os critérios de selecção e publicação são da competência e responsabilidade do PNL e não passíveis de recurso.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Para a mudança dos Paradigmas Educativos

Animação adaptada do discurso de Ken Robinson, um perito em educação e criatividade, vencedor do prémio Benjamin Franklin, atribuído pela Royal Society for the encouragement of Arts, Manufactures and Commerce (RSA).



De 04 de Fevereiro de 2010, mas ainda muito pertinente...

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Conhecer um escritor

Conhecer um escritor e visitar o seu local de trabalho.
Em que se inspira um escritor para construir as histórias e personagens?
O que faz quando tem de escrever e não lhe apetece?
Quanto tempo demora a escrever um livro?
O que sente quando vê o seu livro à venda?
Pensa o que gostarias de perguntar a um escritor.

O concurso "Conheço um escritor" é promovido pela VISÃO Júnior, em parceria com o Plano Nacional de Leitura e a Rede de Bibliotecas Escolares. Todos os meses será publicada uma entrevista a um autor com perguntas e outros trabalhos dos leitores (Alunos do Ensino Básico, do 1.º ao 9.º anos de escolaridade).

Álvaro Magalhães
(fifiencantada.blogspot.com)

Se pretende enviar perguntas relativas à entrevista a fazer a Álvaro de Magalhães, a data limite para o fazer é 14. 01. 2011.


 Alice Vieira
(creeb23bocage.blogs.sapo.pt)
Se pretende enviar perguntas relativas à entrevista a fazer a Alice Vieira, a data limite para o fazer é 03. 02. 2011.

Bookcrossing em Madrid

Mais de 30 000 livros deixados ‘em liberdade’ nas ruas de Madrid

Prática originária dos Estados Unidos, desde 2001, e rapidamente absorvida por outros países, o Bookcrossing consiste em deixar um livro em qualquer sítio da cidade para que alguém o possa ler no pressuposto de que, quando acabe, o volte a por em circulação e assim sucessivamente.
Em Novembro do ano passado, a Autarquia de Madrid, com base nesta ideia, resolveu distribuir 30 000 livros pelas ruas da cidade. Todos os lugares serviram para a iniciativa: fontes, parques, paragens de autocarro, Metro…
Com o Bookcrossing pôde ainda ser cumprida uma tarefa de cariz solidário: por cada dois cidadãos que se tenham cruzado com o mesmo livro (livro ‘libertado’ duas vezes) e registem esse facto na página Web www.lamayorliberaciondelibros.es  até ao dia 24 de Abril de 2011, uma marca de cervejas disponibilizará 3€ para um programa municipal de inserção sociolaboral para jovens em risco de exclusão.
[El País, Novembro, 2010]

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Projecto Winking Books

Winking Books é um projecto de partilha de livros dirigido a todas as pessoas que gostam de ler. Com base na constatação de que os livros são instrumentos dinâmicos da divulgação da cultura e da arte, o projecto pretende facilitar a circulação dos livros que repousam, inertes, nas estantes das nossas casas.

O nome do Projecto “sugere a ideia dos livros ‘adormecidos’ na estante, a piscarem o olho ao seu dono para que este os faça circular, lhes dê vida, lhes retire o pó que os envolve nas prateleiras e os envie a quem ainda não os leu.”  


www.winkingbooks.com
  Depois de um registo gratuito no site, o utilizador pode criar o seu inventário de livros que não quer e, assim, obter pontos que irá trocar por outros livros que lhe interessem. Cria-se, deste modo, uma cadeia de trocas em que o mesmo sujeito ocupa, alternadamente, a situação de remetente (envia, por correio, a seu cargo) e de destinatário (recebe, por correio, sem encargos).
 
Este processo permite:

  • dinamizar leituras com dispêndios muito menores
  • respeitar os direitos dos autores e das editoras
  • suavizar a pegada ambiental (menos árvores abatidas, menos tinta para impressão…)
Projectos Relacionados

http://www.bookcrossing.com/


http://www.anobii.com