quinta-feira, 30 de junho de 2011

Dia Mundial das Redes Sociais

Google Images
Por iniciativa do site Mashable, assinala-se hoje, 30 de Junho de 2011, o Dia Mundial das Redes Sociais, em cerca de 90 países e com a participação esperada de mais de 10.000 pessoas em 600 encontros a nível mundial. 
Em Portugal, as comemorações centram-se na cidade do Porto, na Exponor, entre as 18.00H e as 21.00H.

Google Images
A iniciativa consiste em intervenções de 5 minutos com ligações a outras cidades da Europa onde o evento é assinalado, transmitido em directo na Internet.

Álvaro Siza Vieira

O arquitecto português Álvaro Siza Vieira recebe hoje, atribuída pelo Embaixador em Portugal, em nome do Governo Francês, a distinção de Comendador das Artes e Letras Francesas, que premeia autores que se destaquem no âmbito artístico e literário.

Spa Termal do Parque de Pedras Salgadas

Ilustrarte

ILUSTRARTE é a bienal internacional de ilustração para a infância, que decorre no Museu de Electricidade, em Lisboa, em parceria com a Academia Real de Belas Artes de Ghent na Bélgica. Na iniciativa participam  ilustradores, escritores e leitores de todas as idades, de todo o mundo.
Após a exposição em Lisboa, a mesma seguirá para Ghent, na primavera de 2012.

Menção Especial 2009 - Martin Jarrie (França)

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Twitteratura

luzdeluma.blogspot.com

O Bloomsday é o único feriado nacional integralmente referido à importância de um livro [exceptuando a Bíblia]. Trata-se de um feriado irlandês, comemorado a 16 de Junho e liga-se directamente à importância da obra de James Joyce, “Ulisses” (1922).
“Ulisses” assume o papel de um dos principais marcos da literatura contemporânea ocidental, onde, ao longo de novecentas páginas, o leitor fica a conhecer a odisseia de Leopold Bloom, personagem principal do livro. [Dele se faz um retrato complexo de emoções e pensamentos, ao longo de um dia (16 de Junho de 1904), na cidade de Dublin].

Este ano, às tradicionais celebrações com maratonas de leitura da obra, foi acrescentada a ideia de um dos mais ‘devotos’ admiradores de Joyce, Stephen Cole, que se propôs transformar o conteúdo do livro, em curtas mensagens de 140 caracteres, no Twitter.

Cole convidou voluntários - Ulysses Meets Twitter”- que, além de demonstrarem leitura efectiva da obra, ficaram responsáveis pela publicação de mensagens capazes de cobrir as 96 secções em que ela foi dividida. Tudo isto a cada 15 minutos do próprio dia, o que permitiu a divulgação integral da mesma durante essas 24 horas.

http://twitter.com/#!/11ysses



Outros projectos de leitura no Twitter

@semruido         /           @arjunbasu         /          @re_vira_volta

terça-feira, 28 de junho de 2011

63º Jogos FISEC Portugal 2011



Biodiversidade

“A Biodiversidade refere-se à variedade de vida no planeta Terra, incluindo a variedade genética dentro das populações e espécies, a variedade de espécies da flora, da fauna, de fungos microscópicos e de microrganismos, a variedade de funções ecológicas desempenhadas pelos organismos nos ecossistemas; e a variedade de comunidades, habitats e ecossistemas formados pelos organismos.”


                 http://groups.google.com/
 "Olha o Passarinho"
O projecto "Olha o Passarinho", da Escola Anselmo de Andrade, Almada, é orientado para a preservação da biodiversidade urbana.
A pressão humana sobre os habitats naturais, que resulta do crescimento acelerado da cidade nas últimas décadas, tem como consequência a diminuição do número e da diversidade das aves nessa zona.
A verificação do facto e a reunião de factores capazes de contrariar este ciclo (localização da escola em meio propício e atitude pedagógica favorável à educação para o meio ambiente) levou a que os alunos, principalmente das turmas de Biologia e Geologia, se tivessem dedicado a um trabalho de pesquisa e de educação para a cidadania e o ambiente.
São objectivos do Projecto:
  • Sensibilizar a comunidade escolar para a necessidade de preservação da biodiversidade
  • Promover o trabalho de pesquisa e de investigação científica nos alunos
  • Promover metodologias inovadoras na aprendizagem
  • Promover o sucesso reprodutor de espécies na cidade e contribuir para o aumento da diversidade de espécies
 
                        

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Poema da Semana



Porto Cartoon - World Festival

A 13ª edição do PortoCartoon-World Festival, subordinada ao tema Comunicação e Tecnologias, está patente ao público, desde 23 de Junho no Museu Nacional da Imprensa. Esta enorme exposição contém aproximadamente 400, dos 2200 trabalhos a concurso, de 620 artistas provenientes de 80 países do mundo.
O artista polaco Zygmunt Zaradkiewicz foi o vencedor do Grande Prémio, com o cartoon denominado "My Castle".


O 2º Prémio foi atribuído a um desenho de Plantu, colaborador do jornal Le Monde. Destaque, ainda, para o 3º Prémio, atribuído, pela primeira vez, a uma escultura - o "Homem Digital", do autor português Fernando Saraiva.


As 19 menções honrosas a artistas diferentes países, entre os quais a Bélgica, Brasil, Espanha, Finlândia, França, Holanda, Irão, México, Polónia, Portugal, Roménia, Rússia e Turquia, atestam a elevada qualidade dos trabalhos avaliados pelo júri internacional do concurso.

Veja todos os prémios aqui.

domingo, 26 de junho de 2011

Digiteratura



Seguindo a ideia, comummente aceite, de hoje existir uma literatura espectáculo (Hernán Casciari), o coletivo Hotel Postmoderno tem vindo a produzir reality shows literários, difundidos na Rede e em que os autores participantes ‘escrevem’ obras em tempo real. A intenção é evidenciar alguns dos momentos decisivos do acto de criação – o processo, a resposta (do público em tempo real) e o corpo (como elemento estético) [Eloy Fernández Porta]

O concurso ‘
Suicidame’ é um exemplo ilustrativo da exploração desta telerealidade e dá contributo à discussão actual sobre o futuro da literatura, a literatura e a Internet, a concepção antológica das realizações colectivas, a dessacralização do acto criativo, o aparato do mulimédia, a natureza efémera da obra. Residirá aqui o futuro das letras?


 

"Tal vez nos equivocábamos pensando que el futuro de la literatura se encontraba en los libros digitales o e-books. Esto era sólo el principio. Bien pensado, no tiene mucho sentido que el traslado de la literatura en papel al medio digital se hiciera sin que el contenido y la estructura de la propia literatura no sufrieran una transformación.
Esto es lo que está pasando, la literatura está sufriendo una natural metamorfosis para adaptarse a un nuevo medio y los resultados ya están dando mucho que hablar. Ejemplo de ellos son la multitud de libros y relatos interactivos como My Nervous Breakdown de Alan Bigelow o el Libro flotante de Caytran Dölphin (2006 Leonardo Valencia y Eugenio Tisselli) en los que el lector tiene posibilidad de añadir algunos párrafos, participar en los foros para añadir pistas al caso a resolver y seguir algunas piezas del relato online.
La última obra de la gente de Hotel Postomoderno es Suicidame, un ciber-relato que es al mismo tiempo un reallity show, una novela y un libro digital. Es en definitiva una gamberrada muy interesante. En lo que ellos denominan “digiteratura” se mezcla la literatura, la música, ilustraciones y links externos. La protagonizan seis candidatos de un concurso en el que el premio será la muerte y un periodista, Mario Riñones, que cuenta con su propio blog externo en el que ninguno de los concursantes se librará de sus mordaces críticas."

Tudo lhe parecia ter alma


Quando a criança era criança,
andava balançando os braços,
queria que o riacho fosse um rio,
que o rio fosse uma torrente
e que essa poça fosse o mar.

Quando a criança era criança,

não sabia que era criança,
tudo lhe parecia ter alma,
e todas as almas eram uma.

Quando a criança era criança,

não tinha opinião a respeito de nada,
não tinha nenhum costume,
sentava-se sempre de pernas cruzadas,
saía correndo,
tinha um redemoinho no cabelo
e não fazia poses na hora da fotografia.
Quando a criança era uma criança
era a época destas perguntas:
Por que eu sou eu e não você?
Por que estou aqui, e por que não lá?
Quando foi que o tempo
começou, e onde é que o espaço termina?
Um lugar na vida sob o sol não é apenas um sonho?
Aquilo que eu vejo e ouço e cheiro
não é só a aparência de um mundo diante de um mundo?
Existe de fato o Mal e as pessoas
que são realmente más?
Como pode ser que eu, que sou eu,
antes de ser eu mesmo não era eu,
e que algum dia, eu, que sou eu,
não serei mais quem eu sou?
Quando uma criança era uma criança,
Mastigava espinafre, ervilhas, bolinhos de arroz, e couve-flor cozida,
e comia tudo isto não somente porque precisava comer.
Quando uma criança era uma criança,
Uma vez acordou numa cama estranha,
e agora faz isso de novo e de novo.
Muitas pessoas, então, pareciam lindas
e agora só algumas parecem, com alguma sorte.
Visualizava uma clara imagem do Paraíso,
e agora no máximo consegue só imaginá-lo,
não podia conceber o vazio absoluto,
que hoje estremece no seu pensamento.
Quando uma criança era uma criança,
brincava com entusiasmo,
e agora tem tanta excitação como tinha,
porém só quando pensa em trabalho.
Quando uma criança era uma criança,
Era suficiente comer uma maçã, uma laranja, pão,
E agora é a mesma coisa.
Quando uma criança era criança,
amoras enchiam sua mão como somente as amoras conseguem,
e também fazem agora,
Avelãs frescas machucavam sua língua,
parecido com o que fazem agora,
tinha, em cada cume de montanha,
a busca por uma montanha ainda mais alta,e em cada cidade,
a busca por uma cidade ainda maior,
e ainda é assim,
alcançava cerejas nos galhos mais altos das árvores
como, com algum orgulho, ainda consegue fazer hoje,
tinha uma timidez na frente de estranhos,
como ainda tem.
Esperava a primeira neve,
Como ainda espera até agora.
Quando a criança era criança,
Arremessou um bastão como se fosse uma lança contra uma árvore,
E ela ainda está lá, chacoalhando, até hoje
.


sexta-feira, 24 de junho de 2011

Literacia em Saúde

A saúde é um recurso para a vida; não uma finalidade de vida.


“O Plano Nacional de Saúde, 2011-2016, encontra-se em fase de discussão. Estão disponíveis os capítulos referentes às Estratégias para a Saúde: Enquadramento; Perfil de Saúde em Portugal; Cidadania em Saúde; Equidade e Acesso adequado aos Cuidados de Saúde; Qualidade em Saúde; Políticas Saudáveis; Objectivos para o Sistema de Saúde.”

As estratégias para a saúde em Portugal adquirem uma nova dimensão, cada vez mais agudamente sentida, no reconhecimento de que não basta haver políticas articuladas para promoção dos cuidados de saúde. É, igualmente, necessário promover a LITERACIA em Saúde, ou seja, criar as condições para que os cidadãos percebam integralmente as indicações que lhes são dadas pelos profissionais e que, por esse meio, se tornem cada vez mais conscientes das suas obrigações e dos seus deveres [definidos legalmente] e dando assim, consistência a uma CIDADANIA em Saúde.

Cidadania em Saúde é “o direito e dever das populações em participar individual e colectivamente no planeamento e prestação dos cuidados de saúde” [Declaração de Alma-Ata,1978]. A Cidadania em Saúde adquire consistência e manifesta-se com maior eficácia se houver:
- literacia em saúde  - produção e partilha de informação e conhecimento  
- capacitação -  compromisso  e responsabilidade individual e colectiva 
- empowerment – participação activa

O cidadão, enquanto centro do sistema [em todas as suas valências] e responsável pela sua saúde e pela da comunidade em que se insere, deve, no espírito da carta de Otawa, 1986, ter a possibilidade de influenciar a tomada de decisões dos responsáveis em saúde.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Museu Europeu do Ano [2011]

 

O European Museum Forum (EMF), Bremerhaven, Alemanha, atribuiu, este ano, o prémio European Museum of the Year Award 2011 (EMYA) ao museu belga, Gallo-Roman Museum. Além deste, foram ainda distinguidos, o Museum of Broken Relationships em Zagreb, na Croácia, com o Kenneth Hudson Award,  e o Watersnoodmuseum em Owerkerk, na Holanda, com o Silletto Price.

"O Museu do Douro, pela sua excelência de Museu de território,
 é o local por excelência de acolhimento e representação da memória,
cultura e identidade da região vinhateira - Douro Património da Humanidade."
Além destes prémios, foram atribuídas seis menções honrosas: British Music Experience, London, UK; Museu do Douro, Peso da Régua, Portugal; Museum of the Artist and Story-Teller Stepan Pisakhov, Arkhangelsk, Russia; Museo Memoria de Andalucia, Granada, Spain; Schiller National Museum in Marbach, Germany; Tampere 1918 – Museum of Finnish Civil War, Museum Centre Vapriikki, Tampere, Finland.


 "O EMYA é o prémio de museus mais prestigiado na Europa. É atribuído segundo critérios de inovação, qualidade do serviço público e excelência profissional a nível da museologia e conjuga o reconhecimento dos pares com a evidência da importância do papel social do museu. Quarenta museus concorreram ao EMYA 2011, que tem sido gerido pelo EMF desde 1997. Este fórum é uma organização europeia independente e sem fins lucrativos criada nos anos 1970 para promover a qualidade das instituições museológicas. Trabalha sob os auspícios do concelho da Europa, pelo que todos os museus dos 47 estados-membros podem concorrer a este prémio.(...)
No caso do Museu do Douro (
http://www.museudodouro.pt/), o júri reconheceu a sua qualidade como excepcional. Realçou o facto de o museu contribuir para aprofundar o conhecimento, promover o património local e a história do vinho do Porto, mas também pôr em destaque a história da vida comunitária das gentes e incentivar orgulho na identidade cultural da região".
Fonte: http://www.ipmuseus.pt/pt

segunda-feira, 20 de junho de 2011


O Echo
 Tão tarde. Adão não vem? Aonde iria Adão?!
Talvez que fosse á caça; quer fazer surprezas com alguma côrça branca lá da floresta.
Era p'lo entardecer, e Eva já sentia cuidados por tantas demoras.
Foi chamar ao cimo dos rochedos, e uma voz de mulher tambem, tambem chamou Adão.
Teve mêdo: Mas julgando fantazia chamou de nôvo: Adão? E uma voz de mulher tambem, tambem chamou Adão.
Foi-se triste para a tenda.
Adão já tinha vindo e trouxera as settas todas, e a cáça era nenhuma!
E elle a saudá-la ameaçou-lhe um beijo e ella fugiu-lhe.
- Outra que não Ella chamára tambem por Elle.

Almada Negreiros, in 'Frisos - Revista Orpheu nº1'



A Newsletter de Junho de 2011 da Hemeroteca Municipal de Lisboa [Hemeroteca Digital] deu à estampa os CADERNOS DE ALMADA NEGREIROS.

“Foram publicados em Lisboa, em Junho, Outubro e Novembro de 1935, num total de 3 […]. Os primeiros dois números foram da exclusiva responsabilidade de Almada Negreiros. No terceiro colaboraram Adolfo Casais Monteiro, Álvaro de Campos, Fernando Pessoa, João Gaspar Simões, José Régio, Mário de Sá-Carneiro, entre outros. A colaboração plástica foi assegurada por Almada, Mário Eloy e Sarah Afonso. […] Mas a Sudoeste foi muito importante ao estabelecer a ponte entre gerações diversas, como a do Orpheu e da Presença.[…]”

No fim da Primavera

Sagração da Primavera


quinta-feira, 16 de junho de 2011

Bienal de Veneza


A Bienal de Veneza é, desde 1895, um dos acontecimentos artísticos internacionalmente mais relevantes. Proponente das últimas tendências no domínio das artes contemporâneas, inaugurou ao público no dia 10 de Junho e vai manter ‘portas abertas’ até 21 de Novembro de 2011.
O calendário deste ano é, como sempre, ambicioso e múltiplo:


Francisco Tropa
http://www.dgartes.pt/scenario/artista.htm
DANÇA - 3ª Edição do Arsenale della Danza Oficinas de Dança Contemporânea – Direcção de Ismael Ivo.
Apresentações públicas - 11 de Maio - 25 de Junho de 2011

EDUCAÇÃO - 2º "Kids' Carnival"
Programa especial de actividades criativas para crianças.
26 de Fevereiro - 8 de Março de 2011

ARTE – “Illuminations” - 54.ª Exibição Internacional de Arte
Direcção de Bice Curiger
4 de Junho - 27 de Novembro de 2011

CINEMA - 68.º Festival Internacional de Cinema de Veneza
31 de Agosto – 10 de Setembro de 2011

MÚSICA – 55.º Festival Internacional de Música Contemporânea
24 de Setembro – 1 de Outubro de 2011

TEATRO - 41.º Festival Internacional de Teatro
Direcção de Àlex Rigola
10 - 16 de Outubro de 2011




"A artista portuguesa Joana Vasconcelos ocupa desde quinta-feira o átrio do Palazzo Grassi-François Pinault Foundation, em Veneza, com "Contamination" (2008-2010), uma das obras em destaque na ambiciosa exposição internacional "The World Belongs to You", com curadoria de Caroline Bourgeois. Pensada como radiografia de uma cena artística mundial cada vez mais pulverizada, e cada vez mais organizada em torno de tópicos como a proliferação, a multiplicidade, o nomadismo e a hibridização, a exposição reúne peças de 40 artistas, a maioria das quais expressamente concebida para o espaço do Palazzo Grassi. Caroline Bourgeois destaca a intervenção da artista portuguesa como exemplo "da porosidade e das interacções que inevitavelmente existem entre as culturas num mundo globalizado", considerando "a explosão de componentes e de cores" de "Contamination" um "verdadeiro hino à hibridização". Além de Joana Vasconcelos, participam na exposição artistas como o belga David Claerbout, o japonês Takashi Murakami, a sul-africana Marlene Dumas e o italiano Francesco Vezzoli, entre outros vindos de quase todas as partes do mundo, do Gana ao Iraque, da China à Ucrânia." http://ipsilon.publico.pt/artes/texto.aspx?id=286359


terça-feira, 14 de junho de 2011

Eclipse total da Lua


Eclipse total da Lua a 15 de Junho


“No próximo dia 15 de Junho irá ocorrer um eclipse total da Lua observável em Portugal. Durante os próximos três anos este é o último eclipse lunar no qual uma boa parte da fase da totalidade será visível no nosso país.
O próximo eclipse total da Lua integralmente visível em Portugal só se repetirá a 28 de Setembro de 2015.
(…)

A fase de totalidade observável demora aproximadamente uma hora. O último contacto da Lua com a penumbra irá demorar até à meia-noite.

A Lua cheia irá nascer já completamente mergulhada na parte central da sombra da Terra pouco antes das 21:00 horas.

Devido à refracção da luz na nossa atmosfera, uma parte dos raios solares misturam-se com a sombra da Terra, conferindo um toque de cor peculiar à Lua eclipsada. Esta cor pode variar do mero cinzento sujo, passando por tonalidades de castanho até vermelho vivo ou cor de laranja.

A cor da Lua é imprevisível, uma vez que pode alterar-se ao longo do evento e depende principalmente da cobertura de nuvens em torno do globo terrestre e das partículas de poeiras e matéria orgânica suspensas na atmosfera. Erupções vulcânicas recentes, tempestades de areia nos desertos e outras calamidades meteorológicas ou geológicas contribuem consideravelmente para a transparência da atmosfera e da cor que o eclipse lunar irá mostrar.“


Google Images


A LUA DE LONDRES

É noite. O astro saudoso
rompe a custo um plúmbeo céu,
tolda-lhe o rosto formoso
alvacento, húmido véu,
traz perdida a cor de prata,
nas águas não se retrata,
não beija no campo a flor,
não traz cortejo de estrelas,
não fala de amor às belas,
não fala aos homens de amor.

Meiga Lua! Os teus segredos
onde os deixaste ficar?
Deixaste-os nos arvoredos
das praias de além do mar?
Foi na terra tua amada,
nessa terra tão banhada
por teu límpido clarão?
Foi na terra dos verdores,
na pátria dos meus amores,
pátria do meu coração!

Oh! que foi!... Deixaste o brilho
nos montes de Portugal,
lá onde nasce o tomilho,
onde há fontes de cristal;
lá onde viceja a rosa,
onde a leve mariposa
se espaneja à luz do Sol;
lá onde Deus concedera
que em noite de Primavera
se escutasse o rouxinol.

Tu vens, ó Lua, tu deixas
talvez há pouco o país
onde do bosque as madeixas
já têm um flóreo matiz;
amaste do ar a doçura,
do azul e formosura,
das águas o suspirar.
Como hás-de agora entre gelos
dardejar teus raios belos,
fumo e névoa aqui amar?

Quem viu as margens do Lima,
do Mondego os salgueirais;
quem andou por Tejo acima,
por cima dos seus cristais;
quem foi ao meu pátrio Douro
sobre fina areia de ouro
raios de prata esparzir
não pode amar outra terra
nem sob o céu de Inglaterra
doces sorrisos sorrir.

Das cidades a princesa
tens aqui; mas Deus igual
não quis dar-lhe essa lindeza
do teu e meu Portugal.
Aqui, a indústria e as artes;
além, de todas as partes,
a natureza sem véu;
aqui, ouro e pedrarias,
ruas mil, mil arcarias;
além, a terra e o céu!

Vastas serras de tijolo,
estátuas, praças sem fim
retalham, cobrem o solo,
mas não me encantam a mim.
Na minha pátria, uma aldeia,
por noites de lua cheia,
é tão bela e tão feliz!...
Amo as casinhas da serra
coa Lua da minha terra,
nas terras do meu país.

Eu e tu, casta deidade,
padecemos igual dor;
temos a mesma saudade,
sentimos o mesmo amor.
Em Portugal, o teu rosto
de riso e luz é composto;
aqui, triste e sem clarão.
Eu, lá, sinto-me contente;
aqui, lembrança pungente
faz-me negro o coração.

Eia, pois, ó astro amigo,
voltemos aos puros céus.
Leva-me, ó Lua, contigo,
preso num raio dos teus.
Voltemos ambos, voltemos,
que nem eu nem tu podemos
aqui ser quais Deus nos fez;
terás brilho, eu terei vida,
eu já livre e tu despida
das nuvens do céu inglês.

Poema da Semana



CATA LIVROS

http://www.catalivros.org/

O projecto Cata Livros é um sítio electrónico da Casa da Leitura, Fundação Gulbenkian, que possibilita aos leitores, entre os 8 e os 13 anos, o uso e partilha de obras significativas da literatura infanto - juvenil. 
O portal Cata Livros simula uma casa onde um mocho e um corvo servem de guia ao visitante/leitor, conduzindo-o pela aventura de ler.
É possível a todos os agentes de promoção da leitura, ou simples interessados, acederem aos múltiplos recursos pedagógicos que são disponibilizados bem como a diferentes projectos e práticas.

Jorge Luís Borges

Nos vinte e cinco anos da morte de Jorge Luís Borges (14 Junho 1986)



UM LEITOR
Que outros se vangloriem das páginas que escreveram;
a mim, orgulham-me as que li.
Não terei sido um filólogo,
não terei investigado as declinações, os modos,
a laboriosa mutação das letras,
o de que se endurece em te,
a equivalência do ge e do ka,
mas ao longo dos meus anos professei
a paixão da linguagem.
As minhas noites estão cheias de Virgílio;
ter sabido e ter esquecido o latim
é uma posse, porque o esquecimento
é uma das formas da memória, a sua vaga cave,
a outra face secreta da moeda.
Quando nos meus olhos se apagaram
as vãs aparências queridas,
os rostos e a página,
dei-me ao estudo da linguagem de ferro
que usaram os meus ancestrais para cantar
espadas e solidões,
e agora, através de sete séculos,
desde a Última Thule,
chega-me a tua voz, Snorri Sturlson.
Diante do livro, o jovem impõe-se
uma disciplina rigorosa
e fá-lo atrás de um conhecimento rigoroso;
na minha idade, qualquer empresa é uma aventura
que confina com a noite.
Não acabarei de decifrar as antigas línguas do Norte,
não mergulharei as mãos ansiosas no outro Sigurd;
a tarefa que empreendo é ilimitada
e há-de acompanhar-me até ao fim,
não menos misteriosa do que o universo
e do que eu, o aprendiz.

domingo, 12 de junho de 2011

Festival Silêncio

Palavras em Lisboa

 
 
O Festival do Silêncio volta a acontecer em Lisboa entre os dias 15 e 25 de Junho. A literatura, na sua intersecção com as outras artes, vai manifestar-se em diferentes locais da cidade: Cinema S. Jorge, Musicbox, Instituto Franco-Português e Faculdade de Letras. A programação pode ser consultada aqui: espectáculos, cinema, conversas, exposições.

Alguns aspectos salientes da programação:

·        Diferentes olhares sobre a nova literatura portuguesa contemporânea podem ser sentidos na conversa que Anabela Mota Ribeiro vai ter com alguns dos representantes dessas novas concepções - João Tordo, Afonso Cruz e Pedro Vieira.

·      Um escritor português convida à participação e apresenta um autor estrangeiro: os debates Palavra Puxa Palavra e Palavras Para Quê? tornam orgânica esta dimensão intercultural em que intervêm Paulo Moura, José Mário Silva e Nuno Júdice.

·      Da programação de cinema, com sessões temáticas, de entrada livre, chama-se a atenção para os núcleos que a constituem: Slam Docs, Filmagens (primeiro Concurso Internacional de Poetry Film em Portugal), Best of Zebra (mostra de Poetry Film do Festival Zebra 2010) e Word Cut Docs (documentários sobre escritores e poetas portugueses: Sophia de Mello Breyner Andresen, António Lobo Antunes, Luiz Pacheco, Alexandre O ‘ Neill, Mário Cesariny, David Mourão-Ferreira e Jorge de Sena).

·       A Arte de Escrever é uma masterclass orientada pelo escritor norte-americano Colson Whitehead, que se rege pelo tema Poetry Flim e orienta um workshop infantil, Poetry Slam.


quarta-feira, 8 de junho de 2011

Hemeroteca digital

 

A Hemeroteca Digital, a biblioteca digital da Hemeroteca Municipal de Lisboa, completou seis anos de existência. Nesse tempo tornou-se uma base de dados de referência no âmbito dos periódicos, uma vez que teve mais de 730 mil utilizadores, que navegaram em cerca de 17 milhões de páginas. Conta com dezenas de títulos de jornais e revistas, em especial publicações periódicas da autarquia de Lisboa como, por exemplo, os Anais das Bibliotecas, Arquivo e Museus Municipais (1931-1936), as duas séries da Revista Municipal de Lisboa (1939-1973/1979-1988), ou o Boletim Cultural e Estatístico (1937). 

Em 2010, ano de centenário da República, teve um papel importante ao disponibilizar a estudantes, professores, investigadores e historiadores, informação útil neste âmbito como é o caso da revista O Ocidente (1878-1915), do jornal A Capital: diário republicano da noite (1910-1938), e da Ilustração Portuguesa (1903-1923). 

Os recursos da Hemeroteca Digital encontram-se já disponíveis na Europeana (Biblioteca Digital Europeia). Em breve, estarão no RNOD – Registo Nacional de Objectos Digitais. E para celebrar este sexto aniversário, foi criado um índice cronológico de publicações periódicas,  que lhe permite saber, para cada ano, o número de jornais e revistas que já estão acessíveis em linha na Hemeroteca. 




terça-feira, 7 de junho de 2011

FOCUS 2011



Fórum sobre a cultura e as indústrias culturais

Entre 6 e 8 de Junho, com uma participação alargada de especialistas e interessados na matéria, realiza-se em Monza (Itália), por iniciativa da UNESCO, um forum internacional dedicado ao futuro do livro – “O livro amanhã, o futuro da palavra escrita”.
http://focus2011.org/

A necessidade de dar resposta ao desafio de assumir massivamente e em definitivo o formato digital e electrónico ou manter a base tradicional do formato em papel é, certamente, um tema palpitante e provocador das reacções mais ponderadas dos cerca de 200 participantes de 40 países.

Os desafios do livro digital, os direitos de autor e de leitores, a lacuna criada pelo digital entre gerações, a capacidade de aquisição, mecanismos de edição, etc, farão parte do manancial de ideias que brotará desta discussão – a edição de hoje do jornal ‘el país’ chama-lhe “Tornado de ideas por el futuro del libro” "Convidam-me para tantos congressos sobre a morte do livro que cheguei à conclusão que é um dos sectores com mais vida.” (Robert Darnton)

“No mundo há 5000 milhões de telemóveis. Na Europa, mais de 50% já são telefones inteligentes. Os tablets darão acesso global à Internet e suprirão as barreiras da língua. O Google disponibilizará 15 milhões de títulos em 100 línguas.”(Santiago de la Mora)

Cronologia digital


1968 Lançamento do Dynabook, protótipo de livro digital pensado para crianças.

1974 Nicholas K. Sheridon, colaborador de Xerox, inventa o papel electrónico - Gyricon. (e-paper)

1992 Primeira loja online de livros tradicionais - Book Stacks Unlimited.

1993 Primeiro livro digitalizado - “Do assassinato como uma das belas artes”, (Ed. LPM) de Thomas De Quincey. Adobe Systems cria o Formato Portátil de Documentos (PDF)

1998 Primeiro ISBN para um livro digital.

2000 Primeiro lançamento massivo editorial de um texto digital: Riding the Bullet, do escritor norte-americano Stephen King.

2007 O EPUB (Eletronic Publication ) torna-se o formato de arquivo digital padrão específico para ebooks , criado pelo “International Digital Publishing Forum

2011 (Abril) A Amazon vende, pela primeira vez, mais livros em formato electrónico do que em papel.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas


Dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas

Camões em pintura de José Malhoa

Ao desconcerto do Mundo

Os bons vi sempre passar
No Mundo graves tormentos
E pera mais me espantar,
Os maus vi sempre nadar
Em mar de contentamentos.
Cuidando alcançar assim
O bem tão mal ordenado,
Fui mau, mas fui castigado.
Assim que, só pera mim,
Anda o Mundo concertado.


Provavelmente nascido em Lisboa, 1524, Camões,  o maior poeta português de sempre, terá sido descendente de Simão Vaz de Camões e de Anna de Sá e Macedo, uma família de Chaves cujo ancestral mais conhecido seria o navegador Vasco da Gama.  Em 1553 foi preso, depois de uma zaragata, e partiu para a Índia tendo vivido em Goa, onde escreveu uma boa parte da sua obra.
De regresso a Portugal, sofreu um naufrágio na costa de Moçambique, onde ficou por não ter meios para continuar a viagem. Aí viveu pobremente até o amigo Diogo de Couto o encontrar e lhe pagar a viagem de regresso. Chegou a Lisboa em 1569. Pobre e doente, publicou os Lusíadas em 1572 e o rei D. Sebastião concedeu-lhe uma pensão com que viveu de forma muito modesta. A obra lírica, reunida em “Rimas”, só veio a ser publicada depois da sua morte.
Morreu no dia 10 de Junho de 1580 e foi um amigo quem lhe pagou o funeral. Os restos mortais do poeta perderam-se com o terramoto de 1755.

Portugal Convida 2011

http://www.portugalconvida.net/pt/index.php

O Consulado Geral de Portugal promove, entre 6 e 12 de Junho, em Barcelona, a semana cultural "Portugal Convida" que coincide com as comemorações do dia 10 de  Junho, dia de Camões, de Portugal e das Comunidades Portuguesas. Os temas da semana abordarão áreas diferentes como a arte, cultura gastronómica, pensamento, design, cinema, circo de rua e música portuguesa.

A festa de encerramento do "Portugal Convida 2011" e celebração do dia nacional, terá lugar no sábado 11 de Junho nos Jardinets de Grácia, o mesmo local onde se realizaram as festas das três últimas edições da semana cultural portuguesa. A escola de Circo do Chapitô, e os concertos de Deolinda e X-Wife são as atrações principais deste ano. O Instituto de Turismo de Portugal e o Instituto Camões são os grandes patrocionadores do "Portugal Convida 2011"

Consulte o programa completo.

Prémio Literário dos Jovens Europeus

goncalomtavares.blogspot.com/
O escritor português Gonçalo M. Tavares recebeu em Lyon o Prémio Literário dos Jovens Europeus, com o livro “O Senhor Kraus”, atribuído pelos alunos da Escola Europeia de Comércio, situada em França, a esta obra, que os alunos escolheram por nela terem encontrado semelhanças com a vida política francesa da actualidade. 
goncalomtavares.blogspot.com/

 Este é o segundo prémio que o autor recebe em França em menos de um ano. Em 2010, Gonçalo M. Tavares obteve o Prémio de Melhor Livro Estrangeiro em França, com“Aprender a rezar na era da técnica”.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Poesia Visual

Primavera
[Vitoria-Gasteiz]
Pilar Albajar y Antonio Altarriba
I MOSTRA DE POESIA VISUAL DE BILBAO, 2011

A poesia visual, experimental, as imagens surrealistas, a poesia concreta...assim como as numerosas formas por que a poderíamos definir, constituem um universo artístico que cresce, já, como um género imprescindível; chegádos a este ponto, atrevemo-nos a afirmar que a poesia visual ajuda a superar os limites estabelecidos pelos géneros artísticos, nas suas diferentes acepções. (...)
[excerto, trad. livre do texto original]