quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Também com poesia e prosa de autores cabo-verdianos contemporâneos

http://www.agendalx.pt/evento/feira-do-livro-de-poesia-e-banda-desenhada#.VJLqgNKsVkk
TESTAMENTO PARA O DIA CLARO

Quando do fundo da noite vier o eco da última palavra submissa
         E a patina do tempo cobrir a moldura do herói derradeiro,

         Quando o fumo do último ovo de cianeto
         Se dissipar na atmosfera de gases rarefeitos
         E a chama da vela da esperança
         Se acender em sol na madrugada do novo dia

         Quando só restar na franja da memória
         Lapidada pelo buril dos tempos ácidos
         A estria da amargura inconseqüente
         E a palavra da boca dos profetas
         Não ricochetear no muro do concreto
         Da negrura sem fundo de um poço submerso

         Sejais vós ao menos infância renovada da minha vida
         A colher uma a uma as pétalas dispersas
         Da grinalda dos sonhos interditos.


Sem comentários:

Enviar um comentário