segunda-feira, 31 de março de 2014

Fonte de Letras


Livraria, discoteca, internet, espaço de exposições de artes plásticas, cafetaria
“(…) É uma livraria generalista onde se encontram as novidades editoriais, mas onde se dá especial atenção a pequenas e raras editoras, livros de poesia, edições sobre o Alentejo, livros para crianças… Tem uma programação cultural regular e um pequeno espaço para exposições de artes plásticas. “

Rua 5 de Outubro, 51, 7000-854 Évora | fontedeletras@gmail.com

terça-feira, 25 de março de 2014

IX Congresso Nacional Cientistas em Ação
CIÊNCIA VIVA ESTREMOZ

[Regulamento, Cartaz, Nota de Imprensa]



·         8 de maio, Prémio Galopim de Carvalho (1.º e 2.º ciclos),
·         9 de maio, Prémio Déodat Dolomieu (3.º ciclo)
·         10 de maio, Prémio António Ribeiro (ensino secundário).

Com a presença do Professor Doutor Galopim de Carvalho, do Professor Doutor António Ribeiro, e do Professor Doutor Rui Dias em representação do cientista Déodat Dolomieu.
letter from home 


pat metheny

segunda-feira, 24 de março de 2014




LERAM MUITO BEM OS SEUS POEMAS, NO DIA 22 DE MARÇO DE 2014, NO CENTRO CULTURAL DE BELÉM NA CERIMÓNIA DE ENTREGA DE PRÉMIOS 










2ª Edição 

UM FUTURO DE ZERO EMISSÕES

O Concurso «Jovens Autores de Histórias Ilustradas», 2ª Edição, 2014, é uma iniciativa da NISSAN, com o apoio do Plano Nacional de Leitura (PNL) e da editora LEYA e que segue o modelo  “Childrens Story & Picture Book”, organizado pela Nissan Motor Co. Ltd., no Japão.
O Concurso procura, em Portugal, os “novos talentos” da escrita e da ilustração que, através da sua intuição e criatividade, possam  
propor desafios originais à reflexão crítica sobre a mobilidade, junto dos colegas de escola e na esfera global da sua inscrição socioeducativa. 
 
O público-alvo do concurso são os alunos do Ensino Secundário, inscritos em todos os estabelecimentos de educação nacionais que cumpram no máximo 21 anos de idade até ao dia 01 de Agosto de 2014 inclusive. 


SABER MAIS |
REGULAMENTO

Nissan Motor Company, Ltd - http://www.nissan-global.com/EN/ 
Plano Nacional de Leitura - http://www.planonacionaldeleitura.gov.pt/

Editora Leya - http://www.leya.pt/

--------------------------------------------------------------------------------------------------------

 30TH NISSAN CHILDREN'S STORYBOOKAND PICTURE BOOK GRAND PRIX

"Kii-chan"
Vencedor do 30º Grande Prémio de Ilustração

sexta-feira, 21 de março de 2014


no ranço dos consensos
predominantes
neste tempo
de mediocridades e cobardias
apagam-se as confrontações
assassinando assim
  em surdina
a evolução da espécie
decepando à cicatriz
a sua infinita criação
resistem solitários
à margem do lamaçal
    os malteses
reacendendo lumes
ao redor das fogueiras mortas

Jorge Aguiar Oliveira (Tondela, 1956) | RançoCompanhia das Ilhas | Coimbra,  21 de Março, Dia Mundial da Poesia | Livraria e Antiquário Miguel de Carvalho
Dia Mundial da Poesia

"to give fresh recognition and impetus to national, regional and international poetry movements.”

Dia Mundial da Poesia, ( XXX Conferência Geral da UNESCO, 16 de Novembro de 1999), celebra-se no dia 21 de Março e tem como objectivo "promover a leitura, escrita, publicação e ensino da poesia através do mundo"

Mensagem  da SPA, Sociedade Portuguesa de Autores, para o Dia Mundia da Poesia"

(...) Lembremos Ruy Belo: ao contrário da palavra útil, a de poesia procura libertar-se (e libertar o Homem) da pulsão de morte que, actualmente, nos ameaça, ora de modo subtil, ora de modo declarado. Falo, para além do fetichismo tecnológico, da ditadura dos mercados, da alienação publicitária, da obsessão pelas estatísticas. Mas também me refiro a novas formas de totalitarismo: o emprego precário tornado algo aceitável e até normal; a ideia de que todos teremos vivido acima das nossas possibilidades... A responsabilidade, neste Dia Mundial da Poesia, é também de ordem ética e não só estética. Devemos dar a ler, nomeadamente na Escola, os nossos poetas, ensinar, com rigor e entusiasmo, textos de quantos, inquirindo a linguagem, exaltaram o Homem e a vida. Tudo isto porque é contra o Homem e a vida que a teologia financeiro-político-bancária tem agido, seja em Portugal, seja na Europa da oligarquia burocrática.
 
No fundo, celebrar o Dia da Poesia é celebrar a dignidade com que, por meio da arte, celebramos «a fiel dedicação à honra de estar vivo», para lembrar Jorge de Sena. E não, não se veja aqui qualquer espécie de serôdio romantismo ou de crença num qualquer poder xamanístico reservado ao poeta. A poesia, é certo, continuará sendo o reduto de poucos. E o poeta alguém que, apaixonado pela linguagem, procura responder à ditadura da palavra prática. A poesia é, por tudo isto, um irrevogável: é fiel ao facto de ser linguagem – linguagem que sabe dizer não quando se atravessa o deserto de um mundo pautado pela lei do dar o dito por não dito. É irrevogável, a poesia. E sabe bem o que isso quer dizer." [António Carlos Cortez]
 
http://leituras-cruzadas.blogspot.pt/2014/03/dia-mundial-da-poesia-2014.html
"(...) All peoples throughout history have developed and practiced forms of poetry, so as to pass on orally their knowledge, history and myths – the Vedas and Ramayana in India, the Hebrew Bible, the Iliad and the Odyssey in Greece and many other philosophical and religious texts – to express feelings, to talk about daily life, to withstand trials or to entertain. Today, contemporary forms of poetry, from graffiti to slam, enable young people to become engaged in the practice and renew it by opening the door to a new space for creation. The forms evolve, but the poetic impulse remains intact. Shakespeare described poetry as the music that each man carries inside himself and, centuries later, the jazz musician Herbie Hancock, UNESCO Goodwill Ambassador and 2014 Charles Eliot Norton Professor of Poetry at Harvard University, has recalled the affinities between poetry, literature and music in his lecture on “the wisdom of Miles Davis” (...)". UNESCO Director-General's Message,  Irina Bokova

terça-feira, 18 de março de 2014



                                                                                          21 de Março de 2014


(...)

16:00
Entrega de prémios de Concurso “Faça lá um Poema
* | Sala Sophia de Mello Breyner
Apresentação Madalena Wallenstein
Cerimónia de entrega de prémios aos vencedores do Faça lá um Poema, concurso de poesia dirigido a escolas do 1º Ciclo ao Secundário. A cerimónia será intercalada com um espectáculo dirigido por Teresa Gentil com poemas musicados de autores portugueses como Fernando Pessoa, Natália Correia e Eugénio de Andrade, entre outros. 

segunda-feira, 17 de março de 2014

Faça lá um Poema, 2014




O burrito apaixonado

Andava um burrito
Alegremente a passear
Quando viu uma mula linda,
Linda de encantar!
Foi a casa arranjar-se
Para bonito ficar,
Penteou o pelo e a crina
Pois queria agradar

De volta ao passeio
Viu-a de sorriso cativante,
Mas o seu coração tímido
Não levou a sua avante.
Afastou-se cabisbaixo
Lamentando-se o burrito:
- Que tímido que eu sou!
Certamente alguém a conquistou.

Durante dias seguidos
Em sua casa se fechou
Até que levemente alguém bateu
E o burrito respondeu:
- Não estou!
Afinal era ela, a sua amada
Que com aquela resposta
Ficou mesmo chateada.

Encontrou-a mais adiante
Muito bem acompanhada,
Exibindo um olhar brilhante
Parecia apaixonada.
O seu par era um burro
De aspeto bem catita
E o burrito pensou:
“Quem tem vergonha, sem nada fica”

Mariana Joana
2º Ciclo, EB2 de Pinhel

quarta-feira, 12 de março de 2014



Na Fundação de Serralves, mostra de trabalhos de 12 artistas portugueses, [Gabriel Abrantes, Sónia Almeida, Pedro Barateiro, Sérgio Carronha, Mauro Cerqueira, Priscila Fernandes, Carla Filipe, Pedro Lagoa, Nuno da Luz, Ana Santos, André Sousa, Von Calhau!] muitos dos quais vivem e laboram no Reino Unido, na Alemanha e nos EUA e que procura responder a “novas condições e conjunturas sociais, económicas, políticas e tecnológicas” – uma reflexão animada sobre o contemporâneo.
Curadoria: Suzanne Cotter e Bruno Marchand |Até 11 Maio 2014





sexta-feira, 7 de março de 2014





Correspondência, desenhos e outros testemunhos do 'namoro' entre Arpad Szenes  e Maria Helena Vieira da Silva, numa exposição que estará patente na Fundação, até 19 de Abril de 2014 e que contém algumas peças inéditas que resultaram desse cruzamento inesperado, tantas vezes surpreendente,  entre a vida e a obra. A exposição organiza-se em três núcleos | salas, paralelos aos do volume de cartas editadas com a colaboração da Imprensa Nacional – Casa da Moeda