sexta-feira, 27 de junho de 2014

MANIFESTO 2014
800 anos da Língua Portuguesa


A língua que falamos não é apenas comunicação ou forma de fazer um negócio. Também é. Mas é muito mais. É uma forma de sentir e de lembrar; um registo, arca de muitas memórias; um modo de pensar, uma maneira de ser – e de dizer. É espaço de cultura, mar de muitas culturas, um traço de união, uma ligação. É passado e é futuro; é história. É poesia e discurso, sussurro e murmúrios, segredos, gritaria, declamação, conversa, bate-papo, discussão e debate, palestra, comércio, conto e romance, imagem, filosofia, ensaio, ciência, oração, música e canção, até silêncio. É um abraço. É raiz e é caminho. É horizonte, passado e destino.
Na era da globalização, falar português, uma das grandes línguas globais do planeta, que partilha e põe em comum culturas da Europa, das Américas, de África e da Ásia e Oceânia, com centenas de milhões de falantes em todos os continentes, é um imenso património e um poderoso veículo de união e progresso.
Em 27 de junho de 2014, passam oitocentos anos sobre o mais antigo documento oficial conhecido em língua portuguesa, a nível de Estado - o mais antigo documento régio na nossa língua, o testamento do terceiro rei de Portugal, Dom Afonso II.
Neste dia, queremos festejar esses oito séculos da nossa língua, a língua do mar, a língua da gente, uma grande língua da globalização. Fazemo-lo centrados nesse dia e ao longo de um ano, para festejar com o mundo inteiro esta nossa língua: a terceira língua do Ocidente, uma língua em crescimento em todos os continentes, uma das mais faladas do mundo, a língua mais usada no Hemisfério Sul. Celebramos o futuro.   [SIGNATÁRIOS]

Assinala-se hoje um dos primeiros documentos escritos em língua portuguesa - os 800 anos do Testamento de D. Afonso II, datado de 27 de junho de 1214.

TRANSCRIÇÃO DO TESTAMENTO DE D. AFONSO II
As Comemorações dos 8 Séculos da Língua Portuguesa, promovidas pela 8 Séculos de Língua Portuguesa-Associação, tiveram início  a 5 de maio, “Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP”, e terminarão em 10 de Junho de 2015 com uma homenagem à literatura em língua portuguesa.
As Comemorações dos 8 Séculos da Língua Portuguesa, promovidas pela 8 Séculos de Língua Portuguesa-Associação em parceria com o Centro Nacional de Cultura, têm o Alto Patrocínio do Presidente da República, o reconhecimento de interesse cultural do Secretário de Estado da Cultura, o apoio do Ministério da Educação e de outras instituições como o Camões-Instituto da Cooperação e da Língua, a Biblioteca Nacional de Portugal, a Imprensa Nacional-Casa da Moeda, o Arquivo Nacional da Torre do Tombo, os CTT-Correios de Portugal, a Fundação Oriente, a UCCLA-União de Cidades de Língua Portuguesa, o Observatório da Língua Portuguesa, o ISCTE, a Universidade do Algarve, ...

quarta-feira, 25 de junho de 2014



Biblioteca Municipal de Alcobaça recebe Seminário da Rede de Bibliotecas do Concelho

   "Nos dias 30 de junho e 1 de junho, terá lugar na Biblioteca Municipal, um Seminário da Rede de Bibliotecas do Concelho de Alcobaça. A abrir os trabalhos será assinado um protocolo de Cooperação entre o Município de Alcobaça, o Agrupamento de Escolas de Cister, o Agrupamento de Escolas da Benedita, o Agrupamento de Escolas de São Martinho do Porto, o Instituto Nossa Senhora da Encarnação, a Universidade de Coimbra e a Escola Profissional de Agricultura e Desenvolvimento Rural de Cister, seguindo-se a apresentação do Portal da Rede de Bibliotecas do Concelho.

   Haverá ainda lugar a conferências, mesas redondas, oficinas, formas diferentes de abordar a Literatura em geral e as Bibliotecas Públicas em particular e a sua importância na comunidade onde se inserem”.


Alunos do Curso Profissional de Música (ESDICA)


'câmara de vácuo para simulação térmica do ambiente espacial'
in: http://cam.gulbenkian.pt/index.php?article=72674&visual=2&lang2

60 fotografias de Edgar Martins obtidas, por excepção, na Agência Espacial Europeia e patentes entre 27 de Junho e 8 de Setembro de 2014, na Galeria de Exposições Temporárias | Piso 01 da Fundação Calouste Gulbenkian

terça-feira, 24 de junho de 2014

o desenho está na moda
A Exposição conta a história do traje, desde o século XVIII até aos anos 90 do século XX, em quatro núcleos: “O Corpo Social”, “O Corpo Assinado”, “Sublinhar o Corpo” e “O Corpo dos Materiais” Trata-se de uma mostra sobre o entendimento do corpo ao longo deste tempo, comissariada pela Casa da Cerca - Centro de Arte Contemporânea e patente até 21 de Setembro.




A VOLTA AO MUNDO EM 80 DIAS



"Um lord inglês e seu fiel criado francês decidem dar a volta ao mundo em 80 dias, cruzando Europa, Japão, China e Índia. Para contar a história, a encenação traz uma proposta diferente. Cenas feitas pelos atores deitados no chão são projetadas em um telão por três câmeras, que dão ao público outro recorte do espetáculo, com visual criativo e lúdico. Com uso de sucata, os atores criam objetos, meios de transporte e formas que se modificam a todo instante, em um espetáculo engraçado e repleto de técnicas acrobáticas".


 

sexta-feira, 20 de junho de 2014


Profissão: fazer rir
II Encontro de Palhaços do Mundo


Com organização da plataforma Fafe Cidade das Artes, em colaboração com a Câmara Municipal de Fafe, a cidade torna-se a ‘capital do riso’ a 19, 20 e 21 de Junho, no Jardim do Calvário, através do II Encontro de Palhaços do Mundo - companhias de Portugal, Espanha (Pepe Soto el Bululu), Argentina (Cláudia Verdecchia) e Brasil (Walmir Chagas).

“Com encontros entre profissionais de manhã, workshops e espetáculos para crianças durante a tarde e espetáculos para famílias à noite, o II Encontro de Palhaços do Mundo promete fazer rir centenas de pessoas de todas as idades ao longo dos três dias”


"(...) Um projecto que tem como objectivo a implementação de uma plataforma criativa em Fafe,(…) um espaço privilegiado para a criatividade (…) para o intercâmbio de saberes, de criações e propostas que renovem as perspectivas de futuro.
Um projecto que reúne criadores portugueses e estrangeiros, reconhecidos pelos seus talentos e capacidades de criar vanguardas onde a arte e a cultura são ferramentas de transformação social.

FAFE CIDADE DAS ARTES (…) conta com a participação em residências artísticas de criadores portugueses, brasileiros e espanhóis, apresentações de espectáculos descentralizados nas freguesias, oficinas de formação artísticas, co-produções nas áreas do teatro, da dança, da música e montagens experimentais de espectáculos inéditos de "celebrações colectivas" com actores profissionais e o envolvimento de toda a população social.(…)"
 (in:CMFAFE)

terça-feira, 17 de junho de 2014



TIL - Teatro Infantil de Lisboa

A lírica de Camões com nova 'roupagem', em linguagem de teatro musical -  um espetáculo para toda as idades. [...para as escolas de terça a sexta-feira, por reserva - T.217 154 057 | info@til-tl.com ] Teatro Armando Cortez | Estrada da Pontinha, 7 | 1600-584 Lisboa

quarta-feira, 11 de junho de 2014



Era uma vez…
Ciência para quem gosta de histórias

Até Agosto de 2014, a exposição Era uma vez… Ciência para quem gosta de histórias, no Pavilhão do Conhecimento, organiza-se em torno de conceitos e domínios da Física, da Química, da Matemática, das ciências sociais…na perspectiva de que a Ciência está em todo o lado, mesmo no “imaginário fantástico das histórias infantis”.
A resposta pode encontrar-se aqui, onde se põem questões ligadas às mil e uma histórias que povoam a literatura infantil.

“Será possível construir uma casa de palha que resista ao sopro do lobo? E uma máquina que desmascare as mentiras do Pinóquio? Porque tinha afinal o lobo uma boca tão grande? Conseguimos dar uma ajudinha à Hansel e ao Gretel para encontrar o caminho de volta para casa? Poderá o João ter uma pegada maior do que a do gigante? Teria a Branca de Neve um problema sério de despigmentação? (…)” 

Podução do Pavilhão do Conhecimento | colaboração científica: Laboratório Nacional de Engenharia Civil / Instituto de Telecomunicações (Instituto Superior Técnico) /  Instituto de Sistemas e Robótica (IST) / Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (Universidade do Porto) / Porto Interactive Center (UP) / Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária.



Festa da Poesia Luso-Brasileira 


10 JUNHO – Sessão inaugural
16H Leituras cruzadas – textos de autores de língua portuguesa
Moderação: António José Borges
Cíntia Moscovich, José Luiz Tavares, Maria Lúcia Dal Farra, Nuno Costa Santos
17.30 – Homenagem ao pessoano Haquira Osakabe (1939-2008) 
Jerónimo Pizarro, José Miguel Wisnik, Maria Lúcia Dal Farra
21.00 – Aula-show Tom Jobim [no Jardim de Inverno do Teatro São Luiz]
Arthur Nestrovski, Jaques Morelenbaum, José Miguel Wisnik, Paula Morelenbaum  
11 JUNHO
17H – Literatura em tempo de crise
Moderação: Rui Lagartinho
Almeida Faria, Ana Paula Tavares, Cíntia Moscovich, José Carlos de Vasconcelos, Teolinda Gersão
18.30 Escrever poesia, ficção, canções, teatro - para dizer o quê, a quem?
Moderação: Ana Sousa Dias 
Aldina Duarte, Maria Lúcia Dal Farra, Jaime Rocha, Pedro Mexia
12 JUNHO
16.30 A construção das musas e dos musos
Moderação: Luís Ricardo Duarte
António Carlos Cortez, Hélia Correia, Miguel Manso, Raquel Nobre Guerra
18.00O cânone literário na era da multiplicação dos prémios
Moderação: Luís Ricardo Duarte
Cíntia Moscovich, José Eduardo Agualusa, Miguel Real, Vasco Medeiros Rosa
22.00  – “Verbo Pessoa” – Espectáculo do Teatro Tapa-Furos 
13 JUNHO
16.00 A literatura tem género e gerações?
Moderação: Ana Sousa Dias
Isabela Figueiredo, José Mário Silva, Mário de Carvalho, Tatiana Salem Levy
17.30Escritor, editor, tradutor: como convivem estes personagens numa só pessoa?
Moderação: Rui Lagartinho
Francisco José Viegas, Jorge Reis-Sá, Margarida Vale de Gato, Maria do Rosário Pedreira, Richard Zenith  
22.00 – * Espectáculo de Paulo Bragança [Missa Cantada]

sexta-feira, 6 de junho de 2014

A Velha
 A Velha tinha uma saia 
de remendos de vida remendada
e um lenço branco de cabelos brancos
na cabeça cansada.

A Velha tinha uma cara
de fomes e de penas amassada, 
e um corpo todo aos nós de árvore seca,
de planta mal regada. 

A Velha tinha um olhar
de estrela morta, de luz apagada,
e duas mãos de terra por lavrar,
de cortiça queimada.

A Velha tinha uma voz
de fio de água, de fonte calada,
e uma boca sem dentes e sem lábios,
de estátua mutilada.

A Velha tinha uma alma
de farrapos de vida alinhavada.
A Velha tinha uma alma
e não tinha mais nada.



Fernanda de Castro

Fernanda de Castro nasceu em Lisboa no dia 8 de Dezembro de 1900 e morreu na mesma cidade a 19 de Dezembro de 1994. Escreveu poesia, romance, teatro e até um livro de introdução à botânica. Criou e desenvolveu a Associação Nacional dos Parques Infantis, inaugurando o primeiro parque  no dia 6 de Novembro de 1933.  Traduziu Rainer Maria Rilke (Cartas a um Poeta), Katherine Mansfield (Diário), Pirandello (Uma verdade para cada um) Ionesco (O novo inquilino, O Rei está a morrer), Valéry Larbaud (Divertimento Filológico), Sófocles (Electra), Henri Duveruois (A Fuga), Maurice Maeterlinck (O Padre de Setúbal), entre outros.  Colaborou em diversas publicações periódicas, nomeadamente no Diário Popular e nas revistas Arte PeninsularPanorama, Ilustração Portuguesa, Portugal Feminino, entre outras. Estreou-se na vida literária aos 19 anos, com a publicação do livro de poesia Ante-Manhã. Vence nesse ano (1919) o Primeiro Prémio no concurso de originais do Teatro Nacional, com a peça Náufragos. Com o romance Maria da Lua (1945) foi a primeira mulher a obter o prémio Ricardo Malheiros da Academia de Ciências de Lisboa. Em 1969 é-lhe atribuído o Prémio Nacional de Poesia.
António Quadros Ferro

terça-feira, 3 de junho de 2014

Uma história de jardins
A sua arte na tratadística e na literatura

 
Primeiro havia um jardim...
.
O Começo da Humanidade - jardim do Éden.
A Bíblia | as Metamorfoses de Ovídio - ideias e imagens de jardins e paisagens.

Do útil para o belo

Tratados de agricultura espanhóis, franceses e italianos com capítulos sobre jardins.


Jardim de Prazer

- Hypnerotomachia Poliphili, o sonho de Polifilo – a busca erótica através de jardins e paisagens  
- o tratado de Dézallier d’Argenville sobre o jardim formal
- biografias, aparência, atributos
- livros com desenhos de fontes e os tratados de engenharia hidráulica que permitiram divulgar os   sistemas de jogos de água, em voga na Europa

Locus amoenus

A relação entre os jardins e o amor | o jardim da Arcádia| Art of modern gardening de Thomas Whately (e outros) | livros e dicionários de botânica

Catálogo


Edição conjunta  da Biblioteca Nacional de Portugal e do Centro de História da Arte e Investigação Artística da Universidade de Évora (CHAIA)

Acervo de LIVROS SOBRE JARDINS da Biblioteca Nacional de Portugal
EXPOSIÇÃO em 5 núcleos | Biblioteca Nacional de Portugal/ Sala de Exposições | Entrada livre | 18h00 | até 31 Julho | Comissária: Ana Duarte Rodrigues

Egloga I

Con mi llorar las piedras enternecen
su natural dureza y la quebrantan;
los árboles parece que s’inclinan;
las aves que m’escuchan, cuando cantan,
con diferente voz se condolecen
y mi morir cantando m’adevinan;
las fieras que reclinan
su cuerpo fatigado
dejan el sosegado
sueño por escuchar mi llanto triste:
tú sola contra mí t’endureciste,
los ojos aun siquiera no volviendo
a los que tú hiciste
salir, sin duelo, lágrimas corriendo.








Correios de Cabo Verde  - edição especial de selo comemorativo dos 800 anos de Língua Portuguesa

8 Séculos da Língua Portuguesa

Celebrando-a, no quotidiano, vai, entre 5 de maio de 2014 e 10 de junho de 2015, dar-se especial ênfase aos 8 Séculos da Língua Portuguesa.

A Língua Portuguesa, cuja história se inicia oficialmente com o testamento de D. Afonso II, é falada por mais de 240 milhões de cidadãos e é a quinta mais falada no mundo e usada na Internet.
A língua portuguesa é uma língua românica, derivada do latim popular, que se formou entre a Galiza e o norte de Portugal.
O seu poder de expansão consolidou-se nos séculos XV e XVI por via da criação do império colonial e comercial português – Brasil, Goa, India, Macau, Timor…
É, além de Portugal, língua oficial em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Macau, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Timor - Leste, Guiné Equatorial.
É falada em Goa, Damão, Ilha de Angediva, Simbor, Gogolá, Diu e Dadrá e Nagar-Aveli e em pequenas comunidades como Malaca, na Malásia e em Zanzibar, na Tanzânia. Possui estatuto oficial na União Europeia, no Mercosul, na União Africana, na Organização dos Estados Americanos, na União Latina, na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e na Associação dos Comités Olímpicos de Língua Oficial Portuguesa (ACOLOP).

O Dia da Língua Portuguesa e da Cultura, promovido pela CPLP, é comemorado a 5 de Maio.


Ligações oportunas:

Plataforma de apoio ao estudo da língua portuguesa no mundo
Observatório da Língua Portuguesa
História da língua portuguesa em linha
O que é Lusofonia?
União das cidades capitais de língua portuguesa
Documentário: “Especial Informação: Língua Portuguesa”
http://www.instituto-camoes.pt/