sexta-feira, 27 de março de 2015

Mensagem do DIA MUNDIAL DO TEATRO 2015



Os verdadeiros mestres do teatro encontram-se facilmente longe do palco. E não estão geralmente interessados no teatro que seja como uma máquina para replicar convenções e reproduzir lugares comuns. Eles procuram encontrar a fonte da palpitação, as correntes vitais que tendem a evitar as salas de espetáculo e as multidões de pessoas prontas a copiar um qualquer mundo. Copiamos, em vez de criarmos mundos focados ou mesmo dependentes do debate com o público, cultivando emoções que ultrapassam a superficialidade. 
É que, na realidade, nada revela melhor as paixões escondidas do que o teatro.
Sou muitas vezes levado pela prosa para refletir. Penso frequentemente nos escritores que há quase um século descreveram profeticamente, mas também com parcimónia, o declínio dos deuses europeus, o crepúsculo que mergulhou a nossa civilização numa escuridão de que ainda não recuperou. Estou a pensar em Franz Kafka, Thomas Mann e Marcel Proust. Presentemente também incluiria Maxwell Coetzee nesse grupo de profetas.
A sua visão comum do inevitável fim do mundo – não do planeta mas do modelo das relações humanas – e da ordem social e sua decadência, é hoje em dia dolorosamente sentida por todos nós. Por nós, que vivemos neste pós fim do mundo. Que vivemos em confronto com crimes e conflitos que deflagram diariamente por todo o lado com uma velocidade superior à capacidade ubíqua dos próprios meios de comunicação. Estes fogos rapidamente se esgotam e desaparecem das notícias, para sempre. E nós sentimo-nos abandonados, assustados e enclausurados. Não somos já capazes de construir torres, e os muros que esforçadamente levantámos deixam de nos proteger – pelo contrário, requerem eles próprios proteção e cuidados que consomem grande parte da nossa energia vital. Perdemos a força que nos permite vislumbrar para lá dos portões, para lá dos muros. E essa devia ser a razão de existir do teatro e é aí que devia encontrar a sua força. O canto íntimo que éproibido devassar.
“A lenda procura explicar aquilo que não pode ser explicado. Está ancorada na verdade, e deve acabar no inexplicável” - é assim que Kafka descreveu a transformação da lenda de Prometeu. Acredito profundamente que estas mesmas palavras deviam descrever o teatro. E é este tipo de teatro, aquele que está ancorado na verdade e encontra o seu fim no inexplicável, que eu desejo a todos os que nele trabalham, os que se encontram no palco e os que constituem o público, e isto eu desejo de todo o meu coração.

quinta-feira, 26 de março de 2015

«A Realidade do Imaginário»
30 anos do Centro Português de Serigrafia (CPS)


Comissariada por Maria João Fernandes e com direção artística de Alexandra Silvano, foi inaugurada a 5 de Março, a exposição “A Realidade do Imaginário”, por iniciativa da Direção Regional de Cultura do Centro e do Centro Português de Serigrafia (CPS), que se desdobra por sete espaços distintos com iniciativas simultâneas e que faz mostra de cerca de 200 trabalhos de outros tantos artistas.

Museu de Aveiro - No Princípio era a Luz, temas do imaginário do dia e da noite: Noite Antiquíssima e Eterna | Figuras da Sombra | Mediadoras | Mediadores | O Dragão, Figura da Totalidade | Variações sobre a Luz | Arquiteturas Solares

Museu da Guarda - núcleo “Geometria, Alquimia e Linguagem” : Geometrias Cósmicas |  Jogos Óticos | A Palavra como Imagem | Escritas do Cosmos

Museu Francisco Tavares Proença Júnior, Castelo Branco - “O Amor e o Tempo”, o coração, imagens do amor e do erotismo

Museus José Malhoa, Caldas da Rainha - O Imaginário da Realidade, que inclui Narrativas do Real Quotidiano | Nova Figuração | O Imaginário Cósmico | O Mar como Símbolo | O Espírito do Fogo | A Visão da Bio Arte

Museu da Cerâmica, Caldas da Rainha - núcleo Tradição e Inovação, edições do CPS, entre as quais o azulejo e a cerâmica, com escolha e apresentação de Alexandra Silvano

Museu Joaquim Manso, Nazaré - Símbolos Cósmicos: o Mar

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, Coimbra - O Horizonte do Sonho, obra gráfica de Cruzeiro Seixas
(Até 26 de Abril de 2015)

terça-feira, 24 de março de 2015

A Paixão Grega
Li algures que os gregos antigos não escreviam necrológios,
quando alguém morria perguntavam apenas:
tinha paixão?
quando alguém morre também eu quero saber da qualidade da sua paixão:
se tinha paixão pelas coisas gerais,
água,
música,
pelo talento de algumas palavras para se moverem no caos,
pelo corpo salvo dos seus precipícios com destino à glória,
paixão pela paixão,
tinha?
e então indago de mim se eu próprio tenho paixão,
se posso morrer gregamente,
que paixão?
os grandes animais selvagens extinguem-se na terra,
os grandes poemas desaparecem nas grandes línguas que desaparecem,
homens e mulheres perdem a aura
na usura,
na política,
no comércio,
na indústria,
dedos conexos, há dedos que se inspiram nos objectos à espera,
trémulos objectos entrando e saindo
dos dez tão poucos dedos para tantos
objectos do mundo
e o que há assim no mundo que responda à pergunta grega,
pode manter-se a paixão com fruta comida ainda viva,
e fazer depois com sal grosso uma canção curtida pelas cicatrizes,
palavra soprada a que forno com que fôlego,
que alguém perguntasse: tinha paixão?
afastem de mim a pimenta-do-reino, o gengibre, o cravo-da-índia,
ponham muito alto a música e que eu dance,
fluido, infindável,
apanhado por toda a luz antiga e moderna,
os cegos, os temperados, ah não, que ao menos me encontrasse a paixão
e eu me perdesse nela
a paixão grega
Herberto Hélder (-2015)

segunda-feira, 23 de março de 2015

Quem conta um conto...

REGULAMENTO
‘Quem conta um conto… ao modo de Saramago!?’ é uma iniciativa do Plano Nacional de Leitura (PNL), em parceria com a Fundação José Saramago, a Rede de Bibliotecas Escolares, o Camões, IP e a Porto Editora. Trata-se de um desafio à criatividade dos jovens autores ou dos que querem ousar a sua primeira experiência de escrita e que possam desenvolver, de forma criativa, experiências ou sensações do seu quotidiano vivido ou imaginado, podendo perpassar por interesses diversos, quer na área social, familiar, na esfera política, no exercício de atividades artísticas, nas relações com os amigos…

A 3ª Edição [2014 | 2015] do concurso é extensiva às escolas da Ilha de Lanzarote, nas Canárias, com níveis de ensino equivalentes aos do 3º Ciclo e do Ensino Secundário do Sistema de Ensino português e tem como fundo inspirador a obra “Memorial do Convento”, de José Saramago.

quinta-feira, 19 de março de 2015

Dia Mundial da Poesia
 e da Floresta


Forests and trees sustain and protect us in invaluable ways. They provide the clean air that we breathe and the water that we drink. They host and safeguard the planet’s biodiversity and act as our natural defence against climate change. Life on earth is made possible and sustainable thanks to forests and trees.


HISTÓRIAS CONTADAS EM POESIAS INVENTADAS 2015 A partir das 10.00H do dia 21 de Março, na Estufa Fria, e em tantos outros lugares, celebram-se a Poesia e a Floresta
Ofertas de livros, mercado livreiro temático, histórias contadas, visitas guiadas à Estufa, 
oficinas, caça ao tesouro, apresentação de um livro muito especial, sessões de poesia, um
sem fim de acontecimentos para tornar este dia importante. PROGRAMA

terça-feira, 17 de março de 2015

Um OVO por inventar


Os trabalhos distinguidos integram a Exposição Nacional do Dia Mundial da Saúde Oral, celebrada no dia 20 de Março de 2015, no auditório da Infarmed, em Lisboa.
A dedicação, o talento e o trabalho exemplar na área da Saúde Oral têm, nesta distinção, o reconhecimento simbólico das atitudes que interessa sejam preservadas como selo distintivo da cultura dos povos.

1.º Prémio | Escola Básica e JI da Brandoa, Agrup. Amadora
2.º Prémio | Escola Básica e JI de Enxurreiras
3.º Prémio | Escola Básica de Vale Carro, Agrup. de Ferreiras
(Votações através das redes sociais)
Menções Honrosas
EB de Santa Comba Dão | Colégio da Nossa Senhora da Assunção, Anadia | EB do Barrocal, Pombal | EB da Benedita | EB de São Bartolomeu dos Galegos, Lourinhã | EB da Redinha, Pombal | EB de Vila Nova de Ceira, Góis | EB de Arganil | EB + JI de Reboleiro, Trancoso | JI SCMT, 4ª, Trancoso | JI de Trancoso [sala 1|sala 2] | EB de S. Vicente da Beira | JI Atouguia, Conde de Ourém | EB de Miraflores | JI, sala 2, Damião de Goes | Assoc. Cultural e de Educação Popular Meadela, Viana do Castelo | EB de Nespereira, Cinfães | EB de São Pedro do Sul | EB Bom Sucesso | EB da Albernoa, Beja nº2 | EB da Ilha da Culatra | EB e JI de Alpalhão, Nisa | EB e JI Comendador Ângelo Azevedo | Agrup. Dr. Ferreira da Silva | EB Infantis, Agrup. de Santos Simões | EB e JI Rita Seixas, Agrup. Alfredo da Silva | EB Santa Cruz Trindade, Agrup. Dr. Júlio Martins | EB e JI do Carmo, Agrup. D. Afonso III | JI de Azenha, Valongo | JI de S. Vicente de Lafões, Oliveira de Frades | Polo de Educ. Faro do Alentejo, Agrup. de Cuba | EB de Tondela | EB da Ilha, Agrup. da Guia
(Propostas pelos parceiros institucionais Rede de Bibliotecas Escolares, Plano Nacional de Leitura, Direção-Geral da Saúde, e Ordem dos Médicos Dentistas, no âmbito da sua colaboração no Projeto SOBE, Saúde Oral, Bibliotecas Escolares e organizada, de forma superior, pelo DEROVO Group.)


segunda-feira, 16 de março de 2015



Dia
Bibliotecas Municipais
Nível
2ª Fase –Distrital | Obras a ler
08
 Lourinhã,
 Lisboa
3º C
O princípio da noite | Tiago PATRÍCIO
Um crime no Expresso do Oriente | Agatha CHRISTIE 
ES
Rio Homem | André GAGO
Crónica dos bons malandros | Mário ZAMBUJAL
14
 Rio Maior,
Santarém
3º C
 Trash: os rapazes do lixo | Andy MULLIGAN 
 A Lua de Joana | M. T. Maia GONZALEZ
ES
O retorno | Dulce Maria CARDOSO
 Livro | José Luís PEIXOTO
15
 Covilhã,
Castelo Branco
3º C
 Casos do Beco das Sardinheiras| Mário de CARVALHO 
ES
Chocolate | Joanne HARRIS
 Peso da Régua,
 Vila Real
3º C
O caderno do Avó Heinrich | Conceição DINIS
 Trash: os rapazes do lixo ! Andy MULLIGAN
ES
Uma menina está perdida | Gonçalo M. TAVARES
A livraria | Penelope FITZGERALD
16
 Almada,
Setúbal
3º C
 O caderno do avô Heinrich | Conceição D. TOMÉ 
 Fablehaven: o santuário das fábulas | Brandon MULL
ES
Novíssimas crónicas da Boca do Inferno | Ricardo A. PEREIRA  
A culpa é das estrelas | John GREEN
 Albergaria-a-Velha, Aveiro
3º C
 O senhor Henri | Gonçalo M. TAVARES
 O estranhão! Álvaro MAGALHÃES 
ES
Uma menina está perdida …| Gonçalo M. TAVARES 
Experiência ntárctica: relatos …| José XAVIER
21
Almeida Garrett,
Porto
3º C
 Huckleberry Finn | Marc TWAIN 
O rapaz dos sapatos prateados | Álvaro MAGALHÃES  
ES
A montanha de água lilás: fábula…  | PEPETELA  
O dia antes da felicidade | Erri de LUCA
22
 Almeida,
Guarda
3º C
 O gato Malhado e a andorinha Sinhá | Jorge AMADO
 Um beijo no pé | M. Teresa Maia GONZALEZ
ES
A vida no céu | José Eduardo AGUALUSA
 Crónica de uma morte anunciada | Gabriel G. MÁRQUEZ 
Cast.de Pêra,
Leiria
3º C
 O caderno do Avó Heinrich | Conceição DINIS
ES
Livre | Cheryl STRAYED
 Mortágua,
Viseu
3º C
História de um gato e de um rato… | Luis SEPÚLVEDA 
Casos do beco das sardinheiras | Mário de CARVALHO
ES
Trash: os rapazes do lixo | Andy MULLIGAN 
 Dama de Espadas | Mário ZAMBUJAL 
23
BprMadeira
3º C
Poemas escolhidos | António GEDEÃO
O rapaz do pijama às riscas | John BOYNE
ES
Os amantes sem dinheiro | Eugénio de  ANDRADE
O vendedor de passados | José Eduardo  AGUALUSA
Melgaço,
Viana do Castelo
3º C
A rapariga das laranjas | Jostein GAARDER
Os sonhadores | António MOTA
ES
As velas ardem até ao fim | Sándor MARAI
 O vendedor de passados | José Eduardo AGUALUSA
 Estremoz,
Évora
3º C
Meu pé de laranja lima | José Mauro de VASCONCELOS
O romance Rita R. | Ana SALDANHA  
ES
As pequenas memórias | José SARAMAGO
 O grande Gatsby | F. Scott Fitzgerald
24
 Carrazeda
 de Ansiães,
 Bragança
3º C
O caderno do avô Heinrich | Conceição Dinis TOMÉ 
O livro misterioso | Margarida Fonseca SANTOS 
ES
O passado que seremos | Inês BOTELHO
 Ana de Londres | Cristina CARVALHO
28
 Lagos,
Faro
3º C
 Patagónia Express | Luís SEPÚLVEDA 
O grito da gaivota | Emmanuelle LABORIT
 Mont.- o- Velho,
Coimbra
3º C
O rapaz do pijama às riscas | John BOYNE 
ES
Somos todos um bocado ciganos | M. Jorge MARMELO
29
Alter do Chão, Portalegre
3º C
Os livros que devoraram o meu pai | Afonso CRUZ
O rapaz do pijama às riscas | John BOYNE  
ES
No meu peito não cabem pássaros | Nuno CAMARNEIRO 
A Biblioteca | Zoran ZIVKOVIC
30
Açores
3º C
               O Barco e o Sonho | Manuel FERREIRA
               Bichos | Miguel Torga
ES
               O Mistério do Paço do Milhafre | Vitorino NEMÉSIO
               Livro | José Luís PEIXOTO