quarta-feira, 29 de junho de 2016

 

 6ª Edição | 30 Junho a 3 Julho | Cais do Sodré  
 

 
"(...) diálogo entre diferentes expressões e saberes artísticos, o Festival Silêncio tem como eixo temático as possibilidades da palavra, enquanto unidade criativa e veículo do conhecimento e da criação artística.
Este ano integra o Ciclo Ana Hatherly: Anagramas da Escrita que pretende celebrar e dar a conhecer a obra da autora (...)"

terça-feira, 28 de junho de 2016




SONNET 18
 
Shall I compare thee to a summer's day?
Thou art more lovely and more temperate;
Rough winds do shake the darling buds of May,
And summer's lease hath all too short a date;
Sometime too hot the eye of heaven shines,
And often is his gold complexion dimm'd;
And every fair from fair sometime declines,
By chance or nature's changing course untrimm'd;
But thy eternal summer shall not fade,
Nor lose possession of that fair thou ow'st;
Nor shall Death brag thou wander'st in his shade,
When in eternal lines to time thou grow'st:
So long as men can breathe or eyes can see,
So long lives this, and this gives life to thee.
 
 
Soneto 18
Que és um dia de verão não sei se diga.
És mais suave e tens mais formosura:
vento agreste botões frágeis fustiga
em Maio e um verão a prazo pouco dura.
O olho do céu vezes sem conta abrasa,
outras a tez dourada lhe escurece,
todo o belo do belo se desfasa,
por caso ou pelo curso a que obedece
da Natureza; mas teu eterno verão
nem murcha, nem te tira teus pertences,
nem a morte te torna assombração
quando o tempo em eternas linhas vences:
enquanto alguém respire ou possa ver
e viva isto e a ti faça viver.
 
Versão de Vasco Graça Moura
 
 
 
 

Festival Shakespeare

Da parceria entre o Teatro D. Maria II e o Teatro São Luiz e com apoio do British Council, nasce o Festival Shakespeare que, entre 8 de Julho e 13 de Agosto vai ocupar várias salas da cidade sob a direção artística de Aida Tavares e Tiago Rodrigues.

sexta-feira, 24 de junho de 2016


Os Pássaros de Londres

 
Os pássaros de Londres
cantam todo o inverno
como se o frio fosse
o maior aconchego
nos parques arrancados
ao trânsito automóvel
nas ruas da neve negra
sob um céu sempre duro
os pássaros de Londres
falam de esplendor
com que se ergue o estio
e a lua se derrama
por praças tão sem cor
que parecem de pano
em jardins germinando
sob mantos de gelo
como se gelo fora
o linho mais bordado
ou em casas como aquela
onde Rimbaud comeu
e dormiu e estendeu
a vida desesperada
estreita faixa amarela
espécie de paralela
entre o tudo e o nada
os pássaros de Londres

quando termina o dia
e o sol consegue um pouco
abraçar a cidade
à luz razante e forte
que dura dois minutos
nas árvores que surgem
subitamente imensas
no ouro verde e negro
que é sua densidade
ou nos muros sem fim
dos bairros deserdados
onde não sabes não
se vida rogo amor
algum dia erguerão
do pavimento cínzeo
algum claro limite
os pássaros de Londres
cumprem o seu dever
de cidadãos britânicos
que nunca nunca viram
os céus mediterrânicos

Mário Cesariny, in "Poemas de Londres"

Feira do Livro Usado

Biblioteca Municipal de Azambuja

12ª edição | 24 e 25 de junho de 2016 | pátio exterior, 10h30 - 18h00

 
Centenas de livros, do espólio da Biblioteca Municipal, à venda por 20 cêntimos.

“(…) A Câmara Municipal de Azambuja espera, com este evento, conquistar mais utentes para a rede de bibliotecas, fortalecer hábitos de leitura, apoiar a educação individual e a autoformação. A Feira do Livro Usado enquadra-se, ainda, nos objetivos de estimular a criatividade e a participação da população do concelho noutras iniciativas ao longo do ano, como sejam o concurso literário e os encontros com escritores (…)”.

quarta-feira, 15 de junho de 2016

 
‘El País’ cria escaparate virtual de divulgação de livros
 
 



Partilhar sugestões de leitura e ficar a conhecer autores e críticos literários bem como, de forma mais alargada, ligar-se ao mundo da cultura e das artes é a nova proposta do jornal ‘El País’ que edita a novíssima Librotea em figuração declaradamente feminina, justificada pelo peso estatístico da intervenção das mulheres no plano editorial.
Aos leitores é favorecida a oportunidade de criar um perfil próprio de preferências, sugestões  e críticas literárias.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

SERRALVES EM FESTA 2016 - 13ª edição


Juntar Mundos
O tema da 13ª edição deste ano do Serralves em Festa 2016, "Juntar Mundos”, representa o trabalho de artistas de várias partes do mundo, onde durante 40 horas consecutivas é possível ter-se acesso a centenas de atividades a decorrer nos vários espaços da Fundação de Serralves e também em alguns locais da baixa do Porto.

A organização diz que se trata do "maior evento da cultura contemporânea em Portugal e um dos maiores da Europa", reunindo em si várias áreas disciplinares da Música, Dança, Performance, Circo Contemporâneo, Teatro e Cinema, Fotografia, e também um programa de oficinas e visitas orientadas.

Na área da leitura encenada ganha vida uma nova história da Cinderela, em que ao conto tradicional são acrescentadas personagens de outros contos de fadas:


História da Cinderela - Teatro de Marionetas do Porto

O Teatro de Marionetas do Porto actua assim no dia 04 e 05 de junho 2016, mais informações aqui

Na leitura participativa no dia 05 de junho destaca-se: A coisa Vai, do grupo de teatro da UATIP; Play With Me, um projecto de Luísa Pinto, com os Alunos do Curso de Teatro – Performance (ESAP), que através das palavras, de sons e da natureza, procura de forma dinâmica a interação do público; A Festa, de Spiro Scimone, com Nuno Carinhas, Nuno M. Cardoso e Paula Braga. 

Mais atividades podem ser consultadas no programa aqui.

Datas: 2-3 junho (qui-sex), Baixa do Porto | 4-5 junho (sáb-dom), Serralves. 
40 horas non-stop! Das 8 da manhã de sábado à meia-noite de domingo. Entrada Gratuita.